Fernando Gomes foi hospitalizado nesta terça-feira no Luxemburgo, depois de uma indisposição, razão pela qual não marcou presença no jogo entre as seleções de Portugal e daquele país. Fonte federativa informou que o dirigente ficará acompanhado no Luxemburgo com o médico da seleção nacional. Um comunicado da Federação Portuguesa de Futebol revelou que o presidente da organização se deslocou a “uma unidade hospitalar no Luxemburgo onde foi submetido a exames que revelaram a necessidade de uma intervenção cirúrgica por lesão obstrutiva da carótida”. O comunicado refere que a “cirurgia foi realizada com sucesso”.

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol vai ficar no Luxemburgo e não irá regressar com a comitiva a Portugal, depois de disputado o jogo particular com a seleção luxemburguesa, no estádio Josy Barthel.

“A Federação Portuguesa de Futebol informa que o presidente Fernando Gomes teve esta manhã uma indisposição que os médicos entenderam ser merecedora de exames complementares no hospital local. O presidente da FPF está neste momento em observação, razão pela qual não assistirá, no estádio, ao jogo entre as seleções de Portugal e do Luxemburgo”, podia ler-se numa nota enviada à agência Lusa pouco antes do início da partida.

Na altura, o organismo não deu mais detalhes sobre o estado de saúde de Fernando Gomes, de 63 anos, que chefiou a comitiva portuguesa na deslocação ao Luxemburgo para a realização do segundo de dois jogos particulares, após um encontro com a Rússia no sábado.

Depois da derrota em Krasnodar, por 1-0, a seleção portuguesa venceu o Luxemburgo por 2-0, no Estádio Josy Barthel.