Se no verão procuramos as bebidas frescas, os gelados e as esplanadas, durante os meses de inverno é mais natural encontrar conforto numa boa chávena de chá quente, acompanhada por scones acabados de fazer. E o Porto está bem servido de novidades na matéria: nos últimos dois meses a cidade viu nascer três salões de chá. O Observador foi conhecê-los e junta à lista três casas clássicas no que à bebida inventada pelos chineses diz respeito.

As novidades

Casa de Chá Mil Folhas

O imaginário da casa de chá, com as loiças floridas que lembram tempos que não voltam e um ramo de flores sobre cada mesa em madeira, é precisamente o que se encontra ao entrar neste novo espaço em Leça, aberto desde 22 de novembro. À vista, no balcão, há cupcakes, brownies e bolos que Maria da Encarnação, a proprietária, traz da cozinha, fumegantes. Lá de dentro chegam também os scones (1,20€ cada um), que saem sempre quentinhos a partir das 16h30, e o chocolate quente (2€), espesso ou mais líquido, consoante o gosto de quem pede.

E claro, os chás e infusões (1,80€), que têm uma lista só para eles e encontram-se divididos por categorias: ervas, frutas, preto, verde, rooibos e branco. Ao domingo há brunch, entre as 11h00 e as 16h00, e é bom que o cliente leve fome, porque inclui iogurtes, cereais, leite, compotas, uma variedade de pequenos pães, queijo, fiambre, croissants, donuts, sopa, salsichas, bacon e ovos mexidos, uma tarte ou bola de carne que vai variando, frutas e sobremesas doces, uma bebida quente e uma fria. Tudo isto por 7,50€, com direito a repetir as vezes que quiser (existe um brunch júnior, para crianças).

Ah! Para o caso de se estar a perguntar, sim, no Mil Folhas também servem mil folhas.

Rua Hintze Ribeiro, 510 (Leça da Palmeira), 91 536 0139. Aberto de terça a domingo das 10h00 às 19h00

5 fotos

Violetas à Janela

Por pouco, a casa de chá de Fernanda Silveira, situada ao lado do Jardim de S. Lázaro, não abria. Na manhã inaugural, a 6 de dezembro, a proprietária deparou-se com um curto circuito que quase deu origem a um incêndio. Chamou os bombeiros e pensou: “não, o trabalho não vai ser em vão”. Por isso, deixou entrar os primeiros clientes às três da tarde. E com o que é que eles se depararam? Um espaço com muita luz natural e dois andares, com dois ambientes diferentes, “para pessoas diferentes”, explica a dona. O andar de cima, com as mesas, sofás e a estante de livros, convida à demora (há Internet e quem quiser trabalhar é bem-vindo).

Os chás do Violetas à Janela são da marca English Tea Shop e incluem, por exemplo, o delicioso rooibos de chocolate e baunilha, ou o de erva príncipe com gengibre e citrinos. Também há alguns biológicos e de comércio justo, casos do earl grey, do verde e do english breakfast. Fernanda Silveira é a anfitriã perfeita e até pergunta ao cliente quando tempo de infusão deseja. Um bule para uma pessoa custa 2,20€ e para duas ou três pessoas sobe para 3,50€.

É também ela que faz os bolos e as tostas para o almoço, como a de presunto com queijo da serra ou a de salmão fumado. A pensar nos vegetarianos existe a opção que junta cogumelos, queijo de cabra e pimento. Os intolerantes à lactose têm leite de soja e de arroz à disposição. Por enquanto só há scones ao fim de semana. O que não vem no menu são as tertúlias que ocasionalmente vão acontecer ali. A primeira está marcada para esta sexta-feira, 22 de janeiro, às 21h30, com o tema “Ferramentas para a felicidade: música e educação”. E chá com bolo, acrescentaríamos nós.

Avenida Rodrigues de Freitas, 411 (junto ao Jardim de S. Lázaro), 22 201 1242. Aberto de quarta a sexta das 09h30 às 20h00, sábado e domingo das 10h00 às 20h00 e segunda das 09h30 às 20h00

3 fotos

Chá da Rita

Três dias depois da estreia do Violetas a Janela inaugurou-se o Chá da Rita, do lado oposto à paragem de metro do Hospital de São João. Ali, curam-se as maleitas da sede com os vários chás da marca Glory Tea, entre os quais mirtilos e canela, maracujá oriental e o essência do norte, uma infusão aromatizada sem teína que inclui, entre outras, flor de hibisco, beterraba e groselhas.

Quem procura remédio para a fome sai iguamente curado. No menu das tentações há uma tarte de caramelo salgado obrigatória, um fondant de chocolate negro, tortas de laranja e amêndoa e pão de ló cremoso, para além das habituais torradas.

No primeiro sábado de fevereiro, Ana Rita Branco vai estrear o brunch. “Vai ter croissants, diferentes pães, iogurte grego, fruta, uma bola cortada aos bocadinhos, talvez umas bolachas, e depois uma fatia de bolo à escolha e uma bebida quente”, chocolate quente incluído, adianta. O preço será de 7,50€ e todos os sábados, entre as 11h00 e as 15h00, haverá ligeiras mudanças, para não enjoar.

Rua Mestre Guilherme Camarinha, 177A (Paranhos), 93 778 7204. Aberto de segunda a sexta das 09h00 às 19h00 e ao sábado das 10h00 às 18h00

2 fotos

As clássicas

Rota do Chá

Quando abre um estabelecimento, é impossível prever se terá uma vida fugaz ou se entrará na rotina dos locais e nos guias dos turistas. Dadas as três novidades da cidade, viramo-nos para um clássico chamado Rota do Chá. Situado no quarteirão das artes de Miguel Bombarda desde 2002, tem uma carta com cerca de 300 chás diferentes. Para quem não se dá bem com decisões, há sempre um chá do dia (1,50€ a caneca).

Para além dos scones, torradas, sanduíches e bolos, uma das principais atrações é o espaço, com as diferentes salas e ambientes e, claro, o jardim das traseiras, agradável tanto no inverno como no verão. Também tem uma loja de chá muito completa à entrada.

Rua Miguel Bombarda, 457 (entre Cedofeita e o Palácio de Cristal), 22 013 6726. Aberto todos os dias das 11h00 às 21h00

3 fotos

Casa de Chá de Serralves

Como se o Museu de Arte Contemporânea, a Casa e o Parque não fossem já motivos suficientes para visitar Serralves sempre que possível, há também a Casa de Chá, que reabriu em 2012 com nova gerência. Mente e corpo, cada um com o respetivo tratamento.

No que ao corpo diz respeito é possível encontrar neste espaço cerca de 20 variedades de infusões. Há sempre um chá do dia (1,50€) e scones, acompanhados por compota, manteiga e mel (dois scones custam 3€). É quase obrigatório provar o Porto Wine Touch, chá preto com passas de vinho do Porto.

Rua Dom João de Castro, 210 ( no centro do Parque de Serralves, no antigo campo de ténis). 91 727 3653. Horário de inverno (outubro a março), de terça a sexta das 12h00 às 18h00, sábado e domingo das 10h00 às 18h30

5 fotos

The Bird

Depois de uma década a encantar na Miguel Bombarda, a Rota do Chá abriu um segundo espaço em 2012, desta vez na Foz do Douro. No The Bird encontra-se apenas uma amostra reduzida dos 300 chás disponíveis na casa mãe, entre os quais o tokyo tea (verde) e o champanhe jasmim (branco), o carpe diem (rooibos) e lemon ginger. Ao final da tarde há happy hour, com o menu de chá e scones a custar quatro euros.

Com ou sem happy hour, o que nunca falta é o brunch, servido todos os dias e a qualquer hora, bem como a agradável esplanada.

Rua da Agra, 143 (Foz), 96 809 2732 / 223 216 591. Aberto todos os dias das 11h00 às 20h00

3 fotos

Artigo corrigido às 10h40. A Casa de Chá de Serralves deixou de servir brunch.