Paulo Sousa foi um grande jogador de futebol, com uma inteligência acima da média. Agora é treinador, tem pinta, ideias e carácter. O português foi este domingo expulso no Fiorentina-Genoa porque, ansioso com o empate a zero, precipitou-se para não perder tempo e acabou por não deixar a bola sair.

Foi a cinco minutos do fim. Armando Izzo perseguia a bola junto à linha e foi surpreendido pelo pé direito de um trinco que outrora encantou Itália, curiosamente no rival mais odiado pelos adeptos da Fiorentina: a Juventus. O defesa do Genoa esticou o dedo como quem diz “não saiu, pá”, enquanto Paulo Sousa ficou meio sem jeito. Depois houve sorrisos, apertos de mãos, correrias e uma bola ao ar.

Ah! E uma expulsão esquisita. Paulo Sousa imitou o que José Mourinho já havia feito na primeira passagem pelo Chelsea, contra o Portsmouth, mas como uma diferença: José não foi expulso. A Fiorentina empataria (0-0).