O relatório “A Saúde dos Portugueses – Perspetiva 2015”, apresentado no verão do ano passado pela Direção Geral de Saúde, demonstrou que a prevalência das doenças orais no nosso país teve uma melhoria em todas as idades. “A gravidade da cárie dentária na dentição permanente aos 15 e aos 18 anos tem vindo a diminuir de forma consistente desde o ano de 2000”, pode ler-se no mesmo. O relatório indica ainda que o número de jovens com estas idades com gengivas saudáveis “praticamente duplicou de 21,1% para 41,8%, confirmando a importância que cada vez mais é dada à higiene oral, uma vez que 96% dos jovens de 18 anos refere escovar os dentes todos os dias”.

Já o Barómetro Nacional de Saúde Oral de 2015, apresentado pela Ordem dos Médicos Dentistas (OMD), revelou que “97,4% dos portugueses afirma escovar os dentes com frequência”. Ainda assim, 34,3% dos portugueses nunca visita o médico dentista ou apenas o faz em caso de urgência. E porque é que isto acontece? Ou por não sentirem necessidade, ou por não reunirem condições financeiras para tal, conclui o documento.

Assim como no primeiro relatório da OMD, realizada em 2014, grande parte dos portugueses (60,5%) assume “que já sentiu dores de dentes e desconforto, devido a um problema de saúde oral”. Outro dado relevante destaca que “37% dos portugueses tem falta de mais de seis dentes naturais, valor a partir do qual é considerado que a capacidade de mastigação é notavelmente afetada”.

A gengivite é a principal causa de perda de dentes que afeta a maioria dos adultos. Sabe-se que, em alguma fase da vida, a maioria dos adultos sofrerá desta patologia. No entanto, um dos seus principais sintomas – o sangramento – é frequentemente ignorado nesta que é uma doença que pode ser prevenida.

iStock escova de dentes

A escolha da escova de dentes é fundamental para o cuidado da higiene oral / iStock

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Como prevenir?

A acumulação de placa bacteriana irrita as gengivas e, se não for tratada atempadamente, afeta a gengiva e o osso que suporta o dente, podendo causar a perda do mesmo. As mulheres grávidas, os fumadores, os diabéticos, as pessoas com mais de 35 anos e as mais expostas ao stress e às doenças cardíacas são as que estão mais em risco de desenvolver doenças das gengivas.

Uma das melhores formas de prevenir os problemas das gengivas é certificar-se de que remove diariamente a placa bacteriana. Para uma correta higiene oral, deve optar por uma pasta dentífrica específica para as gengivas e para os dentes, por uma escova interdental e fio ou fita dentários adequados. Recomenda-se ainda o uso de um elixir antisséptico duas vezes ao dia, bem como o acompanhamento de um profissional de saúde oral.

A gengivite provoca gengivas vermelhas e inflamadas que sangram com a escovagem dos dentes. A gama de pastas dentífricas Parodontax® foi especialmente concebida para estas patologias, estando a sua eficácia clinicamente demonstrada. Por um lado, é composta por seis extratos de plantas e tem bicarbonato de sódio, responsável pela limpeza e frescura, o que ajuda a reduzir o sangramento ocasional das gengivas. Por outro, contém flúor para prevenir cáries. Tanto a aparência como o sabor das pastas Parodontax® são únicos e diferentes das pastas dentífricas tradicionais, o que resulta da utilização de ingredientes naturais.

Uma boa alimentação e bons cuidados de saúde oral são fundamentais para a saúde dos dentes, das gengivas e, consequentemente, de todo o organismo. Visite o seu médico dentista duas vezes por ano, independentemente de sentir queixas ou dores e aconselhe-se sobre a melhor forma de cuidar da saúde oral.