Diz-se com frequência que os responsáveis pelos vírus informáticos estão sempre um passo à frente dos antivírus. A pensar nisto, a Microsoft tem um novo truque na manga: o Windows Defender Advanced Threat Protection (ATP), que é uma ferramenta que, entre outras coisas, promete ajudar a identificar e travar ataques informáticos em ambiente profissional.

Os utilizadores mal-intencionados têm sempre encontrado formas diferentes de penetrar as barreiras de segurança. Por isso, segundo a CNN Money, a lógica do ATP assenta no facto de que ninguém está livre de ser atacado — pode acontecer e é preciso estar preparado para agir caso isso aconteça.

A nova ferramenta faz parte do antivírus de origem dos sistemas operativos Windows 10 — o Windows Defender — e usa informação recolhida de um milhão de ficheiros suspeitos, mais de mil milhões de dispositivos Windows e 2.5 biliões de websites. Toda esta quantidade de dados é usada pelo ATP para reduzir eventuais danos provocados por um ataque informático.

Por outras palavras: supondo que a ferramenta deteta uma ligação suspeita — por exemplo, um endereço de IP suspeito –, é enviado de imediato um alerta ao utilizador ou ao administrador da rede. Além disso, a ferramenta alerta também outros utilizadores cujos sistemas possam estar em risco.

Espera-se que o Windows Defender ATP ajude as empresas a detetar mais rapidamente eventuais ataques. É que o Windows Defender ATP só vai estar disponível para clientes empresariais da Microsoft que tenham licenças do Windows 10. Para já, de acordo com o TechTudo, a atualização estará disponível para os membros do Windows Insider, o programa de testes da Microsoft.

Editado por Ana Dias Ferreira.