Os custos de construção de habitação nova no continente desaceleraram em janeiro, ao aumentarem 0,1% face ao mesmo mês de 2015, quando no mês anterior tinham subido 0,2% em termos homólogos, informa hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Para esta redução de 0,1 pontos percentuais (pp) do Índice de Custos de Construção de Habitação Nova face ao mês anterior, foi determinante o índice da componente materiais, com uma queda homóloga de 1,1%, 0,1 pp inferior à verificada em dezembro.

O índice da componente mão-de-obra aumentou 1,1% em janeiro, apresentando uma taxa idêntica à do mês anterior, acrescenta o INE.

Para os apartamentos, a variação homóloga do índice em janeiro foi de 0,1%, menos do que os 0,2% registados em dezembro de 2015, enquanto o índice relativo às moradias teve uma evolução idêntica à do mês anterior (0,2%).

O índice de preços de manutenção e reparação regular da habitação, aumentou 0,1% em janeiro em termos homólogos, tendo-se verificado uma variação nula nos dois meses anteriores.

Os índices das componentes produtos e serviços caíram ambos 0,2%, e em dezembro do ano passado tinham também ambos registado variações nulas.

Por região, a do centro foi a única que apresentou uma taxa de variação homóloga negativa (de menos 0,4%), tendo-se verificado crescimentos nos índices das restantes regiões, face ao mesmo período do ano anterior, sendo de destacar o índice da região do Algarve que aumentou 1,7%.