O líder do Podemos anunciou que vai consultar os militantes para saber se concordam com um “governo de Albert Rivera presidido por Pedro Sánchez”, noticia o El Mundo. Se as bases do partido apoiarem o acordo de Governo em Espanha, assinado entre o PSOE e o Ciudadanos, a investidura de Pedro Sánchez será viabilizada.

A consulta vai decorrer entre 14 e 16 de abril confirmou Pablo Iglesias, após uma reunião com a direção do partido e das suas confluências En Comú Podem e En Marea para analisar a reunião a três de quinta-feira com o PSOE e o Ciudadanos. O “referendo” será baseado em duas perguntas distintas:

  1. “Quer um sistema baseado no governo pacto Rivera-Sanchez?”
  2. “Concorda com a proposta de mudança de governo composta pelas forças políticas do Podemos, En Comú, En Marea, Compromís, Izquierda Unida e PSOE?”

Iglesias afirmou que a reunião a três deixou claro que tanto o PSOE como o Ciudadanos apenas aceitam “retoques” ao acordo de 200 medidas assinado entre estes dois partidos. O Podemos apresentou um documento de 20 propostas que poderiam ser integradas no acordo PSOE-Ciudadanos ou pelo menos negociadas. No entanto, sublinhou, a resposta foi negativa, bem como à possibilidade de o Podemos vir a integrar o futuro executivo liderado pelo PSOE.

“Se há um título sobre a reunião [a três] é que ontem disseram Não ao Podemos, e disseram não a tudo”, salientou Iglesias. “O PSOE não está disposto a abdicar do acordo com o Ciudadanos” e os socialistas rejeitam um “governo proporcional”, disse o líder do Podemos citado pelo El País.

Os socialistas mostraram-se “contrários a qualquer fórmula do Governo que inclua o Podemos. As nossas propostas foram recebidas com imobilismo e saímos muito dececionados da reunião”, acrescentou. “Tenho que agradecer o tom e a sinceridade do PSOE e do Ciudadanos”, frisou Pablo Iglesias.

Segundo a declaração do partido divulgada na conta oficial do Twitter, se essa for a vontade manifestada pelas bases, o Podemos “assumirá as responsabilidades políticas”.