Empreendedores querem construir no Brasil o ErotikaLand, um parque de diversões com estruturas eróticas, carrinhos de choque que se assemelham a genitais e bares com bebidas afrodisíacas. Os investigadores querem que o projeto seja construído em Piracicaba, no Brasil, informa o The New York Times.

O projeto, que os investidores querem que abra as portas em 2018, tem reunido muitas críticas por parte dos locais que receiam a exposição pública de sexualidade no Brasil. “Não podemos ser conhecidos como a capital do sexo”, afirmou Matheus Erler, membro do Partido Socialista Cristão que teme que o parque atraia “pervertidos”.

Um dos investidores principais, Mauro Morata, tentou acalmar os ânimos dos locais, referindo que o parque seria construído fora dos limites da cidade e que representaria a criação de 250 postos de trabalhos e geraria milhares de visitantes anualmente.

Morata acrescentou ainda que o parque irá abordar o sexo de um ponto de vista saudável: o projeto contém um museu onde será explorada a história da sexualidade e os trabalhadores irão apelar ao uso de preservativo durante as relações sexuais. O investidor referiu ainda que será proibido ter relações sexuais dentro do parque temático. “Se os visitantes quiserem tornar as coisas mais íntimas, podem ir para um motel – que nós vamos gerir também”, informou Morata.