José Maria Ricciardi diz que nunca participou em qualquer órgão social e muito menos foi beneficiário de qualquer sociedade offshore criada pelo Grupo Espírito Santo (GES).

O nome do presidente do Haitong Bank, e ex-administrador do BES, consta da base de dados dos Panama Papers divulgada esta segunda-feira pelo Consórcio Internacional de Jornalistas, sendo dado, juntamente como outros membros da família Espírito Santo, como acionista da Espírito Santo Resources Limited — offshore criado nas Bahamas em 2002 que continua ativo.

“Tendo sido veiculado na base de dados dos Panama Papers a minha participação como acionista em 2002 na sociedade Espírito Santo Resources Limited, das Bahamas, venho desmentir tal notícia, dado que jamais fui acionista dessa sociedade, membro de qualquer órgão social e seu beneficiário a qualquer título que fosse. Nestas condições solicito que corrijam a informação divulgada, a qual só pode explicar-se por lapso ou erro manifesto”, afirma Ricciardi em comunicado divulgado esta tarde.

De acordo com a mesma base de dados, mais de 24 sociedades offshore criadas pelo GES tiveram sede social na morada histórica do Conselho Superior do GES: o número 62 da Rua de São Bernardo, na zona da Estrela, em Lisboa.

O que indicia que as referidas sociedades foram criadas pelo próprio GES, visto que o Conselho Superior era uma espécie de cúpula do grupo onde apenas tinham assento representantes dos cinco ramos da família Espírito Santo.

Boa parte das sociedades offshore ligadas ao GES encontram-se desativadas.

O Observador tentou contactar Ricardo Salgado, José Manuel Espírito Santo e Manuel Fernando Espírito Santo mas não foi possível obter uma resposta.

Ricardo Salgado, o ex-líder executivo do BES e o líder informal da família nas reuniões do Conselho Superior do GES, não quis esclarecer as razões que levaram o GES a criar 24 sociedades em diversos paraísos fiscais, nem porque razão algumas dessas offshore apenas têm como acionistas os representantes dos cinco ramos da família no Conselho Superior do GES.

O mesmo aconteceu com José Manuel Espírito Santo que, contudo, instruiu o seu advogado Rui Patrício a recordar que não tem falado publicamente sobre o caso BES/GES. “É importante acrescentar que, mesmo que resolvesse neste caso ter atitude diversa em relação à discussão pública dos assuntos, o dr. José Manuel Espírito Santo não teria elementos ou conhecimentos úteis sobre essas mesmas matérias [referentes ao GES e não à família Espírito Santo]”, refere o advogado Rui Patrício.

18590449_1280x640_acf_cropped_770x433_acf_cropped

Ricardo Salgado não quis prestar declarações sobre os Panama Papers

Outra questão relevante que ficou sem explicação prende-se com o facto de a base de dados dos Panama Papers revelar moradas diferentes das que são conhecidas. Por exemplo, Ricardo Salgado e José Manuel Espírito Santo são referidos na base de dados do Consórcio Internacional de Jornalistas enquanto acionistas da Control Developments Limited com uma morada na República Popular da China: Bixuan Yuan, Fukang Road Nankai District, Tianjin, 300384 P.R. China.

Enquanto que Ricardo Abecassis terá apresentado uma morada de um imóvel na Esvoláquia e António Ricciardi uma morada de Karachi, no Paquistão.

Já em relação a José Maria Ricciardi, a base de dados dos Panama Papers refere uma morada dos Estados Unidos — facto que o líder do Haitong Bank desmente de forma veemente no comunicado acima citado.

A lista de sociedades do GES contida nos Panama Papers é a seguinte:

Control Developments Limited – Criada a 16 de novembro de 1993 pela Espírito Santo Services Luxemburgo, sucursal de Lausane. Inativa desde 30 de abril de 2015.

Acionistas: Ricardo Salgado, José Manuel Espírito Santo, António Luís Roquete Ricciardi, Manuel Fernando Espírito Santo e Mário Mosqueira Amaral

Espirito Santo Resources Limited – Criada em 30 de dezembro de 2002 nas Bahamas, continua ativa.

Detida por 34 acionistas, entre os quais Ricardo Salgado, Manuel Abecassis Espírito Santo Silva, António Ricciardi, Ricardo Abecassis Espírito Santo Silva, José Alfredo Roquete, etc.

ESOIL Limited – Criada em 21 de junho de 2001 e sem atividade desde 29 de junho de 2009.

NOVAGEST Assets Managment – Criada por Espírito Santo Services Luxemburg, Sucursal Lausane. Foi incorporada nas Ilhas Virgens Britânicas) – Activa

ESAT, SA – Criada nas Ilhas Virgens Britânicas desativada a 4 de maio de 2015.

Quinray Tecnhologies Corporation, – criada a 25 de setembro de 1997 nas Ilhas Virgens Britânicas; com ações ao portador o que impede de descobrir verdadeiro shareholder. Continua com atividade e ativa.

Euroamerican Finance Corporation – criada nas Ilhas Virgens Britânicas com 61 titulares de ações ao portador. Incorporada a 14 de dezembro de 1992, continua a em actividade.

Espírito Santo Tourism Limited – fundada a 13 de outubro Ilhas Virgens Britânicas com ligações a Portugal. Participada da ES Resources. Desativada.

GES Finance Limited – Detida pela ES International e por um titular com ações ao portador. Esta sociedade das Ilhas Virgens Britânicas foi desativada a 4 de maio de 2012.

ES Venture Limited – Situada num paraíso fiscal do Pacífico, foi desativada em 15 de dezembro de 2002.

SEAFIELD Tecnologies Limited – Fundada nas Ilhas Virgens Britânicas a 14 de junho 2004

Africa Tradepar, Limited – Mais uma offshore das Ilhas Virgens Britânicas desativada a 30 de junho de 0224

– Criada num paraíso fiscal do Pacífico, NIUE, a sua atividade foi cessada a 4 de maio de 2015

ESCOM Alluvials, Ltd, Heydell Real Estates, SA, Espírito Santo Property (BVI), SA, Espírito Santo BVI Participation Limited, ESB Finance Limited e Espírito Santo International (BVI), SA – Todas foram encerradas a 4 de maio de 2015.

ES Managment Services, Ltd, ESBN Finance, Inc. — Criadas nas Ilhas Virgens Britânicas e desativadas a 30 de junho de 2015

Alpha Managment Portfolio Services, Inc. – Criada nas Ilhas Virgens Britânicas e sem atividade desde 6 de outubro de 2010

Redland Porperties – Desativada a 21 de outubro de 2006.