Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um gigantesco monumento, do tamanho de uma piscina olímpica, foi descoberto recentemente na antiga cidade de Petra, na Jordânia. De acordo com a National Geographic, não existe nenhuma estrutura semelhante no local, que serviu de capital à tribo dos Nabateus, que se terão estabelecido na zona por volta do ano 312 a.C.

Para localizarem a estrutura, os arqueólogos Sarah Parcak e Christopher Tuttle recorreram a drones, a imagens de satélite de alta resolução e a levantamentos no local. Segundo o estudo publicado pelos dois arqueólogos no Bulletin of the American Schools of Oriental Research, o monumento media cerca de 56 metros por 49 metros de área, e incluía no seu interior uma plataforma pavimentada, ligeiramente menor.

https://twitter.com/zesty_science/status/740843450686410752

A plataforma interior era constituída por um edifício central, quadrado, que media 8,5 metros por 8,5 metros, e uma longa escadaria coroada por uma fila de colunas. O monumento, aberto, é uma novidade para os arqueólogos, uma vez que não existe nenhuma estrutura semelhante em Petra.

“Tenho a certa que, ao longo de dois séculos de pesquisa, alguém tinha de saber que este monumento estava lá, mas nunca foi estudado e nunca escreveram sobre ele”, disse Christopher Tuttle à National Geographic. “Trabalhei em Petra durante 20 anos, e sabia que havia qualquer coisa ali, mas é legítimo chamar-lhe uma descoberta.”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Apesar de não haver certezas quando à sua função, Sarah Parcak e Christopher Tuttle acreditam que poderia tratar-se de um edifício público, onde eram realizadas cerimónias religiosas. Se isso se confirmar, o monumento tornar-se-á no segundo maior do género na antiga cidade, a seguir ao famoso Mosteiro.

Uma datação feita no local aponta para que o edifício tenha sido construído em meados do século II a.C., ou seja, um século depois de os Nabateus se terem estabelecido na região. A maioria dos monumentos que existem ainda hoje em Petra, como a Câmara do Tesouro ou até mesmo o Mosteiro, foram construídos durante o século I a.C. Isto significa que a nova descoberta poderá tratar-se do único monumento público do século II.