O défice orçamental no primeiro trimestre do ano atingiu os 3,2% do PIB, anunciou esta sexta-feira o INE, acima da meta prevista para a totalidade do ano pelo Governo, de 2,2%. Estes valores representam uma diminuição de mais de dois pontos percentuais face ao défice de 5,5% que se registava no mesmo trimestre do ano passado. Governo diz que os números reforçam confiança que as metas vão ser atingidas.

No final do primeiro trimestre, o défice orçamental atingiu os 1,4 mil milhões de euros, menos quase mil milhões que o verificado há um ano. Para este resultado, explica o INE, contribuiu um aumento da receita com impostos que indiretos e de uma queda da despesa com capital e a despesa com investimento.

O Governo reagiu de imediato, reiterando a confiança no processo de consolidação, que, diz, é “reforçada pelos números do Instituto Nacional de Estatística (INE) agora conhecidos”

O Ministério das Finanças diz que este é o défice orçamental mais baixo desde 2008 e que face ao mesmo período do ano passado o défice caiu 2,3 pontos percentuais, o que “excede a melhoria de 0,9 pontos percentuais prevista para 2016”.

“O défice orçamental reduz-se 939 milhões de euros, estando prevista uma diminuição de cerca 1 300 milhões para o total do ano. O Ministério das Finanças reafirma o compromisso com os objetivos orçamentais estabelecidos, que permitirão a saída do Procedimento por Défice Excessivo. A continuação de uma gestão orçamental rigorosa é fundamental para ultrapassar momentos de incerteza que se vivem na União Europeia, como os que resultam da opção “Brexit” expressa pelos eleitores britânicos”, diz ainda.