Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Jaime Gama, o socialista que foi ministro dos Negócios Estrangeiros e presidente da Assembleia da República, vai dar um jantar conferência na 14ª edição da Universidade de Verão do PSD que se inicia no dia 29 de agosto, em Castelo de Vide. A participação de personalidades que não pertencem ao universo social-democrata é comum: outros militantes do PS já participaram naquela semana de formação política para jovens, como Mário Soares, António Vitorino, Guilherme d’ Oliveira Martins, Luís Amado ou João Proença.

“Queremos ter sempre pessoas fora do PSD, para ser uma espécie de formação e não uma espécie de doutrinação”, diz Carlos Coelho, o eurodeputado do PSD que organiza a Universidade de Verão, ao Observador. Carlos Coelho recorda um debate realizado numa edição anterior, em que o historiador Rui Tavares — quando era eurodeputado eleito nas listas do Bloco de Esquerda — debateu com o social-democrata Miguel Poiares Maduro “se as catalogações sobre esquerda e direita ainda faziam sentido”. Esse debate daria origem a um livro. Este ano, Poiares Maduro dará uma aula sobre o tema “ser social-democrata hoje”.

O cabeça de cartaz estrangeiro em Castelo de Vide será o grego Kyriakos Mitsotakis, líder do partido Nova Democracia (centro-direita), que lidera as sondagens da Grécia e que “poderá ser o próximo primeiro-ministro”, diz Carlos Coelho. Pela primeira vez, a intervenção de um estrangeiro não espanhol obrigará o PSD a preparar um sistema de tradução simultânea. “Deverá falar sobre como o Syriza interpretou a austeridade”, diz Carlos Coelho, apesar de ainda não ter o tema fechado com o líder grego.

A maestrina Joana Carneiro, o empresário Felipe de Botton, a colunista do Observador Helena Matos, e um refugiado sírio chamado Nour Machlah são outros participantes independentes que darão aulas ou conferências aos cem jovens que participam naquele evento.

Ao longo de uma semana, que começa na segunda-feira e termina no domingo dia 4 de setembro, aquela centena de jovens ainda terão a oportunidade de ouvir o comissário europeu António Vitorino a falar de “Europa Digital”, ou o eurodeputado Paulo Rangel a abordar o tema “Europa: Futuro ou futuros?” A ex-ministra das Finanças Maria Luís Albuquerque dará uma aula sobre o “papel do Estad0: amigo do crescimento ou cúmplice da crise”, e, no encerramento, falará o líder do partido, Pedro Passos Coelho, como é habitual. Este ano, um habitué da Universidade de Verão, Marcelo Rebelo de Sousa (que participou em nove iniciativas) estará ausente. O atual Presidente da República e o vice-presidente do partido Jorge Moreira da Silva são os dois oradores com mais participações na Universidade de Verão.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR