O ano letivo nos colégios de educação especial começa esta segunda-feira e estas escolas ainda não receberam o financiamento do Estado e nem sabem quando receberão, alertou, em declarações à TSF, o presidente da Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo, Rodrigo Queiroz e Melo.

O responsável referiu que “não há nenhum outro problema que não seja a incerteza no arranque que não a do financiamento”, um problema que afirma não compreender, já que pode ser resolvido “em meia hora”.

Rodrigo Queiroz e Melo lembrou que o mesmo ocorreu em 2015 e apelou a que se ultrapasse “rapidamente” a “situação de incerteza”.

Em 2015 os colégios de ensino especial só receberam o financiamento em fevereiro, depois de terem ameaçado não abrir as portas no segundo período. O valor transferido pelo Governo foi de quase 4,4 milhões de euros, para 600 alunos do ensino especial.

Segundo a TSF, o Ministério da Educação garante estar a tentar resolver a situação da forma mais célere possível.