A Casa Pia de Lisboa chegou a acordo com Manuel Rosa, testamenteiro e um dos herdeiros de Mário Cesariny, e a trasladação do corpo do poeta vai finalmente acontecer. A cerimónia ainda não tem data marcada, mas deverá acontecer, o mais tardar, em novembro, altura em que se assinalam os dez anos da morte do surrealista.

Cesariny morreu no final de de novembro de 2006 e permanece desde então provisoriamente sepultado num gavetão do Talhão dos Artistas do Cemitério dos Prazeres, em Lisboa, sem qualquer identificação. Na altura, a Casa Pia de Lisboa, herdeira de “todas as quantias” depositadas pelo poeta em “instituições bancárias”, prontificou-se a comprar um jazigo no cemitério lisboeta para que Cesariny pudesse ser dignamente sepultado e a pagar todas as despesas a ele associadas.

Contudo, desentendimentos entre o testamenteiro e a instituição fizeram com que a situação provisória se arrastasse durante dez anos, como noticiou o Observador em fevereiro deste ano, e o corpo do poeta permanecesse no gavetão incógnito dos Prazeres. Uma situação que, finalmente, está prestes a resolver-se.

mario-cesariny05_770x433_acf_cropped

Mário Cesariny está sepultado no Talhão dos Artistas, no Cemitério dos Prazeres, em Lisboa (MICHAEL M. MATIAS/OBSERVADOR)

A ideia inicial era que a trasladação acontecesse ainda este mês, uma vez que a Câmara Municipal de Lisboa, também envolvida no processo, desejava que fosse realizada uma cerimónia ao ar livre. Porém, atrasos vários não permitirão que tal aconteça. De acordo com Manuel Rosa, o mais provável é que esta só aconteça mais perto de 26 de novembro, dia em que se assinalarão os dez anos da morte do poeta, numa data ainda por acertar.

Além da Câmara Municipal, a cerimónia está a ser organizada pelo testamenteiro em conjunto com a Fundação Cupertino de Miranda, herdeira universal de Cesariny, e a própria Casa Pia, o que dificulta a marcação de um dia, como explicou ao Observador fonte oficial da instituição.

Antes da passagem dos restos mortais de Mário Cesariny para um novo jazigo, “cedido para o efeito pela autarquia”, este será alvo de “obras de adaptação e limpeza”, que “incluem a colocação de uma escultura concebida pelo amigo e testamenteiro de Mário Cesariny, Manuel Rosa”, esclareceu a Casa Pia de Lisboa. Estes serão suportados pela instituição, que está neste momento “a desenvolver os procedimentos necessários para o efeito”.

Além da trasladação, o aniversário da morte do poeta será assinalado com um extenso programa de comemorações, que será divulgado atempadamente. “Oportunamente será convocada uma conferência de imprensa na qual será divulgado o programa das comemorações do 10º aniversário da morte de Mário Cesariny, com a participação de todas as entidades referidas”, referiu a Casa Pia.

Artigo atualizado às 15h com as declarações da Casa Pia de Lisboa