O herdeiro ao trono da Tailândia, o príncipe Maha Vajiralongkorn, sucessor de Bhumibol, o rei histórico, está longe da popularidade do seu falecido pai, cuja adoração era evidente. A sua vida está envolta em escândalos: desde os seus devaneios amorosos, à crueldade para com os filhos.

Após a morte do acarinhado rei tailandês, Bhumibol, na passada quinta-feira, que deixou a população a chorar a sua morte, as preocupações sobre o herdeiro do trono começam a surgir, ao ponto da população sugerir discretamente a irmã mais nova – e menor – de Maha, a princesa Chakri Sirindhorn, como rainha.

O Herdeiro ao trono

Mostrar Esconder

Maha Vajiralongkorn, o herdeiro ao trono, estudou no Reino Unido e na Austrália. Quando voltou à Tailândia ingressou como oficial no exército, tendo sido nomeado como chefe do batalhão da guarda pessoal do seu pai. Desde então, o seu trajeto tem vindo apenas a piorar, especialmente no que toca aos seus devaneios amorosos e crueldade para com os próprios filhos.

Da vida amorosa do príncipe Maha Vajiralongkorn destacam-se os seus vários casamentos e muitas outras polémicas: primeiro casou-se com uma prima materna em primeiro grau. De seguida, casou-se com uma aspirante a atriz. Mas não se ficou por aqui… Mais tarde avançou ainda para um terceiro casamento, com uma empregada do seu serviço pessoal. Os três casamentos acabaram todos em divórcio por suspeitas de traição.

O último divórcio anunciado publicamente aconteceu em 2014, da então princesa Srirasmi. Esta última relação terminou de uma forma tão abrupta que a princesa foi despojada dos seus títulos reais e muitos dos seus familiares foram detidos por terem acumulado ilegalmente uma grande parte da fortuna real.

Foi também neste seu terceiro casamento que um vídeo íntimo se tornou público. O príncipe festejava o 30º aniversário da esposa com alguns assistentes, num jantar onde a princesa apareceu apenas em roupa interior, a sorrir para a câmara. Embora o vídeo tenha sido rapidamente removido, foi o suficiente para que a reputação do herdeiro ficasse ainda mais manchada.

Para além do campo amoroso, o príncipe Maha Vajiralongkorn é ainda conhecido pela sua excentricidade e crueldade para com alguns dos próprios filhos, que se encontram exilados e a quem foram retirados os títulos e nomes reais.

Ainda que o regime de sucessão da Tailândia, que existe há centenas de anos, dê o príncipe primogénito como herdeiro ao trono, a transição não está a ser fácil. Toda a gente saiba que Maha nasceu para ser rei, tendo sido designado como herdeiro oficial há mais de 35 anos, quando tinha apenas 20 anos, mas a população continua sem estar convencida. A principal dúvida recai sobre a capacidade do príncipe em garantir a unidade nacional num país que se encontra politicamente dividido e onde o exército continua tem enorme poder.

“Vajiralongkorn tem demonstrado, ao longo dos anos, pouco interesse nos assuntos políticos e reais”, disse o professor Pavin Chachavalpongpun num artigo recente.

Embora os media não falem muito sobre a monarquia tailandesa, a fama de mulherengo do príncipe Maha Vajiralongkorn não passa completamente ao lado da população. O tema só não chega aos media, porque tanto o rei, a rainha, o príncipe herdeiro ou mesmo o regente estão protegidos por uma lei que impõe uma pena de até 15 anos de prisão para atos de lesão a “suas majestades”, tais como insultos, ameaças e difamações. Desde que os militares chegaram ao poder, em 2014, este tipo de processos judiciais tem-se multiplicado.

Maha pediu para que lhe dessem algum tempo de luto antes de ser coroado, para que, juntamente com o povo tailandês, pudesse chorar a morte do seu pai.