Os chefes de Estado e de Governo da UE iniciaram esta quinta-feira, em Bruxelas uma cimeira cuja agenda é dominada pelas questões da imigração, comércio e relações com a Rússia, mas com o ‘Brexit’ também como pano de fundo.

O Conselho Europeu, iniciado cerca das 16h30 locais (15h30 de Lisboa), e que decorre até sexta-feira, é o primeiro no qual participa a nova primeira-ministra britânica, Theresa May, que deverá dar conta aos seus 27 parceiros europeus do modo como Londres tenciona levar a cabo o processo de saída do Reino Unido da UE, na sequência do referendo que ditou o ‘Brexit’.

À entrada para o encontro, Theresa May garantiu que a mensagem que tem para os seus homólogos é “muito clara”: o Reino Unido deixa a UE mas até a saída se concretizar desempenhará o seu papel e será “um parceiro fiável”.

Além do tema da imigração, que tem inevitavelmente feito parte da agenda das últimas cimeiras de líderes da UE, mas que não deve conhecer grandes desenvolvimentos na reunião de hoje, um assunto que promete animar a discussão, durante o jantar de trabalho, é a Rússia, embora também neste caso não seja de esperar qualquer tomada de decisão, segundo fontes do Conselho.

Os líderes europeus discutirão as relações da UE com a Rússia também à luz do papel russo no conflito da Síria, e fontes diplomáticas indicaram que a discussão pode prolongar-se, até porque há um grupo de Estados-membros (sobretudo de Leste e do báltico) que há muito que pede um debate mais aprofundado sobre a Rússia, estando todavia completamente excluída a possibilidade de o Conselho Europeu discutir nesta fase sanções contra Moscovo, como desejariam alguns países europeus.

Portugal está representado na cimeira pelo primeiro-ministro António Costa, que se escusou a prestar declarações à chegada.