A trasladação de Mário Cesariny vai acontecer no próximo dia 8 de dezembro, às 12h, no Cemitério dos Prazeres, em Lisboa, confirmou ao Observador fonte oficial da Casa Pia de Lisboa. A cerimónia contará com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Mário Cesariny morreu a 26 de novembro de 2006, tendo sido provisoriamente sepultado num gavetão do Talhão dos Artistas do mesmo cemitério lisboeta. Em vida, o poeta e pintor tinha manifestado a vontade de ser sepultado num jazigo e, por isso, a Casa Pia, herdeira de “todas as quantias” por ele depositadas em “instituições bancárias”, prontificou-se na altura a cumprir o seu desejo.

Contudo, desentendimentos entre o testamenteiro e editor de Cesariny, Manuel Rosa, e a instituição fizeram com que a situação provisória se arrastasse durante dez anos, como noticiou o Observador em fevereiro deste ano. Em outubro, a Casa Pia e Manuel Rosa chegaram finalmente a um acordo e a cerimónia de trasladação, para um jazigo cedido pela Câmara Municipal de Lisboa, irá finalmente acontecer.

Além de Marcelo, estarão também presentes no dia 8 José Manuel dos Santos, amigo próximo de Cesariny e atual diretor cultural da Fundação EDP, que fará um “breve retrato”, e Teresa Caeiro, deputada do CDS-PP e sobrinha-neta do poeta-pintor, que também falará publicamente. Durante a cerimónia, serão ouvidos poemas de Cesariny declamados pelo próprio e haverá um concerto da Ensemble da Casa Pia.

Fundação Cupertino de Miranda assinala dez anos da morte de Cesariny

Cesariny morreu há dez anos e aqueles que o conheceram não deixarão a data passar em branco. Além de uma série de iniciativas previstas para o ano que vem, que incluem a reedição de algumas obras já esgotadas (como é o caso de Manual de Prestidigitação, editado pela Assírio & Alvim) a Fundação Cupertino de Miranda irá voltar a organizar os Encontros Mário Cesariny.

A iniciativa — que pretende “lembrar um dos grandes nomes da cultura nacional” — irá decorrer entre os dias 24 e 26 de novembro no espaço, que é detentor de de uma parte do espólio artístico e documental de Mário Cesariny. A programação, diversificada, inclui poesia, exposições e até um concerto. A entrada, como de costume, é livre.

O primeiro dia (quinta-feira), irá começar logo pela manhã com uma oficina de “Soprofigura”, direcionada para o público escolar. À noite, pelas 21h30, António Gonçalves, diretor artístico da Cupertino de Miranda, irá fazer uma visita uma visita à exposição, Sergio Lima – Fogo Ténue Incendeia o Corpo, patente até 30 de janeiro de 2017. Isaque Ferreira irá recitar poesia erótica.

No dia 25 de novembro, sexta-feira, haverá Poesia na Rua a partir das 14h, a cargo da Oficina locomovente da poesia. Mais tarde, às 18h, será exibido no Auditório da fundação o documentário Cesariny, que integra o projeto “Escritores a Norte — Vidas com Obra em Casas d’Escritas”. Às 21h30, será a vez de Cruzeiro Seixas — As cartas do rei Artur, um documentário biográfico de Cláudia Rita Oliveira.

Apresentado pela primeira vez em outubro no festival DocLisboa no final de outubro, Cruzeiro Seixas — As cartas do rei Artur fala sobra a “condição humana”, a “inevitabilidade do desencontro” e a relação de Seixas com Mário Cesariny, como explicou na altura a realizadora.

A 26 de novembro (sábado), dia em que se assinalam os dez anos da morte de Mário Cesariny, haverá Poesia na Praça (também pela Oficina locomovente da poesia) e, às 16h, dois lançamentos no Pequeno Auditório. O primeiro, Caderno 15 — Mário Cesariny — entre nós e as palavras, trata-se de uma edição do Centro de Estudos do Surrealismo da Cupertino de Miranda que reúne “desenhos inovadores” do poeta e pintor e “dois textos que foram publicados previamente na revista Cronos, muito ligada à vanguarda”, explicou ao Observador Perfecto E. Cuadrado, diretor do centro.

O segundo, Mário Cesariny e o virgem negra ou a morte do autor e o nascimento do actor, de Fernando Cabral Martins, fala sobre O Virgem Negra e as ligações que existem entre a obra de Mário Cesariny e a dos modernistas do Orpheu, entre eles Fernando Pessoa. A edição é da Documenta. Os dois livros serão apresentadas por Perfecto Cuadrado. O dia irá terminar com um concerto das Danças Ocultas seguido de um cocktail.

O programa completo dos Encontros X pode ser consultado aqui.