O secretário-geral da Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses (CGTP), Arménio Carlos, disse esta terça-feira em declarações à RTP, que a CGTP foi afastada da discussão em torno da Taxa Social Única (TSU) e que aguarda propostas alternativas por parte do Governo.

Arménio Carlos diz que a CGTP apoia o combate à precariedade, o desbloqueio da contratação coletiva e o aumento salarial, mas que tais medidas exigem uma mudança por parte do Governo e do patronato. O secretário-geral garante ainda que a CGTP “não foi parte do acordo”, apesar da sua vontade.

A CGTP foi afastada pelo Governo quando persistiu na redução da TSU e, até, no aumento da sua redução para as entidades patronais”.

O secretário-geral defende que a CGTP não foge aos desafios, por mais difíceis que sejam, mas que não lhe compete apresentar quaisquer propostas. “Quem criou o problema agora deve apresentar as soluções“, defende o secretário-geral da confederação sindical, que aguarda assim as propostas do Governo.