Pedro Passos Coelho almoçou esta quinta-feira com o coordenador do programa autárquico do PSD em Lisboa e um dos seus maiores críticos, José Eduardo Martins. O encontro foi noticiado pelo Expresso e confirmado pelo Observador e terá servido para o presidente do PSD ouvir o antigo vice-presidente da bancada do PSD sobre o programa para a cidade, já que se encontra no processo de escolha de um candidato.

O convite partiu de Pedro Passos Coelho e era do conhecimento do líder distrital e do líder concelhio. O Expresso chegou a avançar que, na base do almoço, estava um convite de Pedro Passos Coelho a José Eduardo Martins para que fosse o candidato, o que o próprio desmentiu em declarações ao Observador antes de publicar um post no Facebook no mesmo sentido:

É falso que tenha sido convidado. Alguém tem muito interesse em arranjar problemas ao PSD, mas não sou certamente eu nem o presidente do partido. É absolutamente falso que alguma vez tenha recebido um convite”, afirmou José Eduardo Martins ao Observador.

A versão é corroborada pelo líder da concelhia, Mauro Xavier, que garante ao Observador que por detrás da reunião “não está nenhum convite”, mas sim “discutir a cidade de Lisboa“. Para o presidente do PSD/Lisboa, Passos quis apenas “ouvir a opinião do coordenador do programa, numa altura em que está em processo de escolha do candidato”.

Ainda esta quinta-feira José Eduardo Martins tinha dito, numa entrevista à Antena 1, que não é bom com timings e que quando quiser ser presidente do PSD, provavelmente não será no tempo certo. Disse que não anda a fazer o “roteiro da carne assada” no caminho para a liderança. Colocou, no entanto, alguma pressão sobre o líder, dizendo que se fosse presidente do PSD se demitiria caso não alcance os objetivos autárquicos: “Eu, no lugar de Pedro Passos Coelho, se tivesse fixado esse objetivo e não o conseguisse, demitia-me”.