Assinou no dia 1 de junho. No Dia Mundial da Criança. E teve direito a vídeo do preciso momento da rubrica final no Twitter do Benfica. “Estive no clube quatro anos na formação, passei depois pela 2.ª Divisão, no ano passado representei o Sporting Clube das Caldas na 1.ª e penso que era altura de dar o salto para um clube de grande dimensão como o Benfica. O que posso prometer? Máxima dedicação, máximo trabalho, máximo empenho e dar 100% de todas as minhas capacidades para defender este clube”, garantiu Tiago Pereira, feliz como uma criança. Ontem, dia 2, fez um pedido público de desculpas. Hoje, dia 3, saiu. E agora está sem clube.

A história é simples de contar, percebendo-se o contexto da mesma. Depois de ter sido campeão nacional vencendo o Sp. Espinho na “negra” do playoff na Luz, por 3-0 (curiosamente no dia em que a equipa de futebol se sagrou também tetracampeã, com o V. Guimarães), o Benfica apostou no reforço do plantel para a próxima temporada. Fala-se nos meandros da modalidade que os tigres e o Fonte Bastardo podem baixar o orçamento (que é como quem diz, ter uma equipa menos forte), mas os encarnados pensaram em dois outros pontos: as competições europeias e um eventual regresso do Sporting.

Em condições normais, os leões teriam de começar na 3.ª Divisão (como até já tinham equacionado em 2015), mas os regulamentos da Federação Portuguesa de Voleibol permitem uma entrada direta no principal escalão caso se cumpram determinados requisitos (número e idade dos jogadores portugueses e número de internacionais pela Seleção, entre outros). Fala-se que o projeto estará assente no eterno Miguel Maia, distribuidor de 46 anos que jogou nas últimas épocas no Sp. Espinho, e poderá contar com jogadores como Roberto Reis, Kibinho, Hugo Ribeiro, João Simões, além de pelo menos dois estrangeiros que chegarão do Brasil (onde já se fala de forma aberta do regresso do conjunto verde e branco).

Com ou sem Sporting confirmado, o Benfica fez o seu trabalho para 2017/18 e assegurou três reforços de nomeada: o central Filip Cveticanin, internacional de 20 anos do Castêlo da Maia que é visto como uma das maiores esperanças do voleibol nacional; Milija Mrdak, oposto sérvio de 25 anos que atuava agora no Foiniksa Syros, da Grécia, após passagem pela competitiva liga italiana; e o experiente internacional búlgaro Miroslav Gradinarov, que estava na Roménia depois das experiências na Turquia, em Itália, no Japão e na Tunísia. Faltava, ainda assim, mais uma opção para a zona 4. Tiago Pereira foi o escolhido.

Logo nessa noite de 1 de junho, quinta-feira, alguns fóruns de adeptos do Benfica mais ligados e conhecedores das modalidades manifestaram a sua indignação pelo acordo. Não numa ótica desportiva, porque era mais uma boa opção para a zona 4, mas por uma série de publicações antigas (algumas com seis anos) encontradas na página pessoal de Tiago Pereira no Facebook, onde se liam frases como “Os anos passam, o ódio aumenta! Benfica só m…” ou “Em Portugal mandamos nós! A fazer a festa em casa dos lampiões! Sporting sempre”.

No dia seguinte, sexta-feira, todos percebiam que as condições para Tiago Pereira – que apagou a sua página no Facebook para evitar mais problemas e comentários – ficar na Luz eram diminutas. Ainda assim, o jogador, através de um esclarecimento publicado no site oficial dos encarnados, tentou acalmar os ânimos e pediu desculpa pelo sucedido, prometendo dar tudo pelo Benfica.

Ninguém pode apagar o passado. Arrependo-me de ter escrito as publicações que se tornaram públicas e peço a todos desculpa. Mais do que justificar que coincidiram com um período difícil da minha vida em termos pessoais e desportivos, quero provar-vos que hoje sou uma pessoa diferente e posso ser útil. Apesar de saber as dificuldades que possa vir a passar, quero, com a ajuda de todos, lutar para conquistar o vosso respeito. Em cada treino, em cada jogo, em cada bola disputada, sei que terei de dar sempre mais de mim para vencer a desconfiança que essas publicações antigas geraram. Peço imensa desculpa a todos e prometo que ultrapassarei os meus limites para merecer o vosso respeito”, salientou o zona 4.

No entanto, e quando se pensava que as coisas poderiam ter acalmado, o jogador saiu mesmo. “O Sport Lisboa e Benfica e o voleibolista Tiago Pereira não vão efetivar o acordo entre as partes que foi público esta semana. O atleta entendeu que não estão reunidas as condições para integrar a equipa campeã nacional de voleibol e o clube aceitou os argumentos apresentados”, anunciaram as águias através de um comunicado. Tudo em 48 horas…