Se não tiver um parapeito ou outra superfície onde colocar vasos, pense vertical. Crie jardins suspensos ou suspenda ervas aromáticas sobre a mesa da cozinha para uma decoração de fácil acesso. No exterior, cestos suspensos podem ser um alvoroço de cor ou uma horta em miniatura.

Recipientes exteriores

Há cestos suspensos à venda. Devem ser densamente plantados para obter o melhor efeito. Os cestos de arame precisam de revestimento com um tapete fibroso para evitar que o substrato vegetal saia – estão à venda já cortados. Se o suporte aguentar o peso, porque não pendurar vários cestos, uns debaixo dos outros, ou criar uma esfera, unindo dois com um arame?

Recipientes interiores

Há muitas floreiras suspensas especificamente de interior à venda, desde a barata e alegre à consideravelmente sofisticada, mas certifique-se de que são suficientemente grandes (ou pequenas) para o espaço e planta(s) a que se destinam. Para evitar pingos lamacentos, é melhor não terem orifícios de drenagem, mas se tiverem, tenha em conta o local onde serão suspensas e se podem ser tiradas facilmente para regar.

O livro foi publicado pela Vogais e custa 13,99€.

Com um pouco de criatividade e de “faça você mesmo”, também pode transformar outros recipientes em floreiras suspensas, como garrafas de plástico cortadas ao meio ou frascos de doce com corda, ou coloque um vaso numa gaiola vintage e deixe as flores caírem em cascata pelas laterais.

Nota: Tenha sempre em conta o peso total da planta, do vaso, do substrato quando húmido e do recipiente de suspensão. Assegure-se de que o suporte com e de onde é suspenso é suficientemente resistente.

Esfera suspensa

Uma esfera de cesto suspensa adequa-se a plantas de curto prazo, como as verduras de folhas que voltam a rebentar depois de cortadas, mas não à plantação perene de herbáceas. Faça orifícios no revestimento do cesto para introduzir plantas jovens, deixando espaço suficiente entre elas para crescerem, mas plante densamente.

Porque é que algumas plantas podem ser suspensas e outras não

É possível comprar recipientes supostamente adequados para cultivar ervas aromáticas e outras plantas, como tomate, de forma invertida. É melhor evitá-los, pois embora a planta fique pendurada do vaso durante algum tempo, em última instância as suas hormonas anularão as intenções estéticas do jardineiro e os caules começarão a dobrar e a crescer novamente para cima. O mesmo se aplica às plantas não rasteiras – não cairão naturalmente em cascata sobre a borda de um recipiente. Isto deve-se ao facto de os caules conterem hormonas que permitem à planta crescer para cima e em direção à luz, processos conhecidos respetivamente como gravitropismo negativo e fototropismo. São essenciais à planta para a sua sobrevivência e competição com outras plantas.

Plantas adequadas a jardins suspensos

Todas as plantas podem ser suspensas num recipiente, mas para que os caules e a folhagem fiquem pendurados para baixo pelas laterais, escolha variedades rasteiras ou prostradas como as que se seguem:

Anuais — Várias plantas herbáceas de verão rasteiras, como as lobélias, os gerânios, as petúnias e as verbenas. Verifique o rótulo para se assegurar de que se trata de uma variedade rasteira.

Clorofito (Chlorophytum comosum) — Embora a folhagem principal seja herbácea e relativamente ereta, esta planta deita estolhos com plântulas bebé que ficarão penduradas no recipiente.

Cascata-de-prata (Dichondra argentea) — A folhagem prateada cairá em cascata em 91 cm ou mais para fora. Perene, crescerá no interior o ano todo.

Hera (Espécie Hedera) — Há muitas heras de folha pequena próprias para pender dos recipientes.