O HSBC Private Bank, filial suíça do banco britânico, comprometeu-se a pagar 300 milhões de euros para evitar um julgamento em França por “branqueamento de evasão fiscal”, anunciaram as autoridades francesas.

O acordo alcançado enquadra-se num novo procedimento que permite a uma empresa, processada por corrupção ou por branqueamento de fraude fiscal, negociar uma multa sem ir a julgamento.

O banco reconheceu “a existência dos factos que lhe são atribuídos e aceita a sua qualificação legal”, de acordo com um comunicado.

Os 300 milhões de euros, já provisionados pelo banco, vão reverter para o Orçamento do Estado francês.

O HSBC Private Bank foi acusado a 18 de novembro de 2014 de captação ilícita de clientes e branqueamento agravado de fraude fiscal.

O banco foi acusado em particular de ter captado contribuintes franceses e de lhes ter dado mecanismos para escapar ao fisco em França, lesando o Estado em mais de 1.600 milhões de euros.

Na origem deste caso estão documentos que o informático Hervé Falciani entregou em 2009 às autoridades francesas sobres bases de dados que teria obtido quando trabalhava no HSBC na Suíça.