Rádio Observador

País

Sete projetos vencedores do Orçamento Participativo Jovem Portugal apresentados esta segunda-feira

Os projetos dizem respeito às áreas da Inovação Social, Sustentabilidade Ambiental, Desporto Inclusivo e Educação para as Ciências. O OPJP pretende reforçar a democracia e o envolvimento jovem.

FERNANDO VELUDO/LUSA

Sete projetos de jovens, para iniciativas nas áreas da Inovação Social, Sustentabilidade Ambiental, Desporto Inclusivo e Educação para as Ciências, ganharam o Orçamento Participativo Jovem Portugal e recebem agora verbas para se tornarem uma realidade. O Centro da Juventude de Lisboa será esta segunda-feira o palco da apresentação pública dos sete projetos vencedores.

O Orçamento Participativo Jovem Portugal (OPJP), aprovado em Conselho de Ministros em setembro com o objetivo de reforçar a qualidade da democracia e o maior envolvimento dos cidadãos jovens nos processos de decisão, recebeu 400 propostas e teve 10 mil votantes.

Para esta primeira edição, o OPJP dispõe de 300 mil euros para financiamento das iniciativas dos jovens. “Liga-te à Pateira”, um projeto apresentado por Inês Tavares de Castro, Hélder da Silva Arede e Alexandre Resende Reis Pires, é um dos vencedores, propondo a reabilitação do percurso pedestre que liga a zona da Pateira de Óis da Ribeira (concelho de Águeda) até ao afluente em Requeixo (concelho de Aveiro), numa ligação com uma extensão aproximada de 3,6 quilómetros.

Com o projeto “Arribeirar”, a jovem Sandrina Dias Pereira propõe recuperar um bosque à beira-rio que liga as terras de Ameal e Vale Domingos, no município de Águeda, reintroduzindo fauna e flora autóctone.

Já a proposta “O Grande Livro do Parque” visa a criação de um centro interpretativo pedagógico no parque botânico de Vale Domingos (próximo da cidade de Águeda).

Catarina Isabel Oliveira Tomaz, a autora, explica no projeto que o objetivo é transformar visitantes em pequenos cientistas através de uma experiência simulada de trabalho de campo, descobrindo espécies, aprendendo a observar com detalhe e participando em iniciativas de proteção da biodiversidade.

Igualmente financiado será o projeto “Banco de Ajudas Técnicas Desportivas”, proposto por Maria Margarida de Carvalho Patrocínio, uma iniciativa que visa proporcionar uma melhor qualidade de vida às pessoas com deficiência motora, permitindo e fomentando a prática desportiva através da cedência gratuita, a título temporário, de equipamentos adaptados para a prática desportiva.

Por seu lado, a ideia de “Gym4All”, segundo Bruna Cosme Martins, nasceu da paixão de um grupo de jovens praticantes de uma modalidade que surgiu e existe apenas em contexto escolar no concelho de Seia: a ginástica. O objetivo é criar, em parceria com entidades do concelho, um projeto de desenvolvimento da modalidade.

Ana Teresa da Silva Bento ganhou financiamento para pôr em prática a “APP Caderneta do Aluno”, que visa criar um vínculo mais forte e uma comunicação permanente entre encarregados de educação e professores. Através desta aplicação, qualquer pai pode aceder fácil e gratuitamente ao comportamento/assiduidade e empenho do seu educando, através do seu ‘smartphone’. Já Marta Silva e Joana Amorim apresentaram um projeto de partilha gratuita de bicicletas no distrito de Viana do Castelo, a Minhotacleta. O projeto prevê a aquisição de bicicletas que estarão disponíveis em parques e infraestruturas de apoio ao turismo, podendo cada cidadão levantar as bicicletas num ponto e entregá-las noutro diferente mediante a apresentação de um cartão ou código.

A sessão de apresentação destes projetos vencedores vai ter transmissão ao vivo no canal do YouTube “Maluco Beleza” e em simultâneo nas plataformas do #OPJovem. O apresentador Rui Unas vai conversar com o ministro da Educação e com os jovens proponentes dos projetos vencedores da edição 2017.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)