CDS-PP

Tendência Esperança em Movimento quer que Adriano Moreira seja presidente emérito do CDS-PP

A tendência Esperança em Movimento vai apresentar uma proposta no congresso do CDS para que Adriano Moreira seja presidente emérito do partido. O antigo líder vai ser homenageado no sábado.

TIAGO PETINGA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A tendência Esperança em Movimento (TEM) vai apresentar uma proposta ao Congresso do CDS-PP para que Adriano Moreira seja presidente emérito dos centristas, saudando a homenagem que o partido lhe prestará no sábado.

“Nós vamos propor a atribuição ao professor Adriano Moreira do título de presidente emérito, a senhora presidente decidiu, e bem, prestar-lhe uma homenagem, que é da autoria da senhora presidente”, afirmou à Lusa o porta-voz da TEM, Abel Matos Santos.

Abel Matos Santos, que é um defensor do regresso de Manuel Monteiro ao CDS, considera que os ex-presidentes do CDS que não estão filiados deviam assistir a essa homenagem, que será enquadrada pela reativação do Senado do partido, órgão no qual os presidentes filiados têm assento por inerência.

“Foi uma pena que isso não acontecesse dessa forma, esperamos que ainda possamos ver Adriano Moreira e todos os ex-presidentes, se calhar num evento organizado pela TEM”, disse.

Abel Matos Santos argumenta que a homenagem a Adriano Moreira resulta de uma correta interpretação “do desejo e da vontade dos militantes” por parte de Assunção Cristas, tal como a reposição do “botão da história” no sítio da internet do partido e da recolocação dos retratos dos presidentes na entrada da sede do partido, em Lisboa.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

Um partido não é uma família

Sandra Clemente
142

PSD, PS, BE, CDS e CDU, em 20 anos, perderam cerca de 850 mil votos, mas não assusta esta crescente insignificância dos partidos existentes, só assusta a possibilidade de novos partidos aparecerem.

PSD

Passos Coelho demitiu-se e não foi substituído /premium

João Marques de Almeida
332

O novo partido de Santana Lopes também não conseguirá ultrapassar o PSD. Competirá assim ao futuro líder do PSD unir as direitas e ser capaz de construir um programa reformista para o país. 

Política

Modorra estival /premium

Manuel Villaverde Cabral

Com o acesso de Rio à chefia do PSD cessaram quaisquer veleidades oposicionistas e muito menos reformadoras. O ressurgimento de Santana é puro teatro. PSD e CDS apoiarão Costa sempre que o PS precisar

PSD

Os 3 vazios da direita portuguesa /premium

Miguel Pinheiro

Marcelo está preocupado com a possibilidade de a direita se “fragmentar” e “deixar de ser alternativa”. Mas à direita não há liderança, nem ideias, nem estratégia. A união do vazio vale pouco. Ou nada

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)