CTT

Gestmin, liderada por Manuel Champalimaud, reforça nos CTT e passa a deter 12,31%

A Gestmin passou a deter 12,31% do capital social e dos direitos de voto dos CTT. Empresa liderada por Manuel Champalimaud adquiriu mais 122.500 dos CTT em bolsa.

M

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

A Gestmin reforçou a posição nos CTT, passando a deter diretamente 12,31% do capital social e dos direitos de voto da empresa, anunciaram esta segunda-feira os Correios de Portugal.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), os CTT adiantam que receberam em 16 de março último da Gestmin SGPS, entidade estreitamente relacionada com João Afonso Ramalho Sopas Pereira Bento, administrador não executivo da empresa, a informação de duas operações relacionadas com a compra de ações dos Correios de Portugal.

Em 13 de março, a Gestmin adquiriu 122.500 ações ordinárias dos CTT em bolsa ao preço médio de 3,1594 por título, e que um dia depois a mesma entidade voltou a comprar 81.928 ações ordinárias dos Correios de Portugal, também na Euronext Lisbon, pelo preço de 3,1084 por ação.

“Assim, após a realização das referidas transações, a Gestmin passou a deter, diretamente, 18.465.215 ações representativas de 12,31% do capital social e dos direitos de voto dos CTT”, adianta a empresa liderada por Francisco de Lacerda.

No entanto, para o cômputo da participação qualificada da Gestmin, considerando as posições dos administradores da Gestmin, no qual se inclui o presidente Manuel Carlos de Melo Champalimaud, a posição total nos CTT é de 12,58%, com 18.874.419 ações. Em 17 de janeiro, a Gestmin tinha reforçado a posição nos CTT, passando a deter diretamente 12,17%.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Europeias

Querida Europa...

Inês Pina

Sabemos que nos pedes para votarmos de cinco em cinco anos, nem é muito, mas olha é uma maçada! É sempre no dia em que o primo casa, a viagem está marcada, em que há almoço de família…

Educação

Aprendizagem combinada: o futuro do ensino

Patrick Götz

Só integrando a tecnologia na escola se pode dar resposta às necessidades do futuro, no qual os futuros trabalhadores, mesmo que não trabalhando na indústria tecnológica, terão de possuir conhecimento

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)