Empreendedorismo

O sonho comanda o empreendedorismo

Participar numa experiência multicultural é a ambição de muitos jovens. Para concretizar este sonho, o empreendedorismo regressa a Cascais, no próximo verão.

Getty Images/iStockphoto

Existem eventos que fazem crescer mais em 15 dias  do que num ano inteiro, experiências capazes de mudar a vida de um jovem, fazê-lo acreditar que é capaz de ir mais além, que as ideias que guarda em segredo podem ser melhores do que alguma vez imaginou, que a timidez é ultrapassável e que as capacidades de comunicação também se treinam.

Existem experiências capazes de mudar a vida não de um, mas de muitos jovens. É este o objetivo do programa de empreendedorismo European Innovation Academy (EIA), que depois do sucesso da 1ª edição, vai regressar ao Centro de Congressos do Estoril, entre 15 de julho e 3 de agosto. Num ambiente intercultural vão marcar presença 500 estudantes, de 75 nacionalidades diferentes, dos quais 100 são portugueses. “Por causa da EIA recebi várias ofertas de emprego de Silicon Valley e da Alemanha”, sublinha Bemi Adeosun, um estudante do Dublin Institute of Technology.

Lisbon Meetup

Lisbon Meetup

O Lisbon Meetup tem como objetivo apresentar o programa da edição de 2018 e servir de inspiração para todos os participantes. Durante duas horas, podem ser ouvidas inúmeras histórias de quem esteve na primeira edição da EIA, para além de serem partilhadas múltiplas aprendizagens relacionadas com o networking.

Onde? Centro Santander Totta, em Lisboa

Quando? 6 de abril

Inscreva-se agora mesmo aqui

“Da ideia à startup em 15 dias”

Reformular a educação para o empreendedorismo é uma das metas da EIA que visa transformar, em apenas 15 dias, uma ideia de negócio numa startup, mudando a perceção do risco e do que parece impossível.

No próximo verão espera-se a reedição da iniciativa com a criatividade e a vontade dos estudantes, vindos de vários cantos do mundo, de fazer crescer negócios inovadores. “Os participantes da edição anterior dizem-nos que foi uma experiência que mudou as suas vidas. Os alunos adquirem acesso uma rede internacional e capacidades únicas necessárias para construírem uma carreira de sucesso”, explica Anni Sinijarv, CEO da EIA.

Aprender a ser um empreendedor global

Testar ideias de negócio para não perder tempo com um produto que ninguém quer comprar é uma das máximas que guia o programa de empreendedorismo. A EIA pretende também transmitir competências interdisciplinares e estimular conhecimentos acerca das mais modernas tendências empresariais para que os universitários possam ganhar vantagens no mercado global. O evento conta com uma metodologia única desenvolvida por representantes da Google, Universidade de Stanford e Universidade de Berkeley, que participará com cerca de uma centena de alunos, a maior delegação de sempre.

Um verdadeiro ecossistema de inovação

Todos os jovens devem integrar-se numa equipa de cinco elementos, com estudantes de várias nacionalidades que não se conhecem, mas que devem reunir as competências necessárias para o desenvolvimento de uma ideia de negócio. Depois do brainstorming e de muitas horas de trabalho, as startups apresentam soluções aos participantes, mentores e visitantes através do pitch e vão responder a questões de profissionais e potenciais investidores para que a viabilidade do negócio possa ser avaliada.

Nas sessões de mentoring os estudantes têm a oportunidade única de trabalhar em conjunto com profissionais que se destacam no mundo do empreendedorismo. No evento vão estar, por exemplo, diversos empresários de Silicon Valley para partilhar experiências e orientar os jovens. É o caso de Jesse Leimgruber, um estudante de 22 anos que criou um negócio de sucesso. Hoje lidera a Neoreach, uma empresa que movimenta milhões com o desenvolvimento de um software que nasceu para apoiar o marketing nas redes sociais (procura influenciadores, analisa a audiência, gere campanhas, etc).

Os docentes das instituições de referência parceiras da iniciativa também estarão ao lado dos estudantes para os guiar nos projetos de empreendedorismo.

Para além de mentores de “carne e osso”, os jovens vão igualmente contar com a Growby, a chatbot que funciona com base na inteligência artificial para apoiar nos primeiros passos do lançamento das startups.

Parceiros a favor do empreendedorismo

A cidade de Cascais é o palco estratégico da EIA enquanto polo de inovação e empreendedorismo, com o apoio do Santander Universidades que desempenha um papel central na ligação às universidades e aos politécnicos portugueses, estimulando o espírito empreendedor e as capacidades digitais dos alunos. A Beta-i, a Universidade Nova e a Daimler AG associam-se também à iniciativa.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Conteúdo produzido pelo Observador Lab. Para saber mais, clique aqui.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: obslab@observador.pt
Caixa Geral de Depósitos

Caixa para que te quero

Inês Domingos

Centeno quis a toda a força financiar a Caixa para lá do que seria aparentemente preciso, mas disse no Parlamento que não tem interesse no resultado da auditoria que revelou os desmandos socialistas. 

Liberalismo

Por uma alternativa política

Manuel Loureiro
291

Vivemos contentes com crescimentos poucochinhos, resignados a um aperto económico com que as famílias vivem? Se em 1974 ganhámos a democracia, não estará agora na hora de lutarmos pela liberdade?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)