Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Bruno de Carvalho voltou ao Facebook na manhã desta segunda-feira, para um novo post, no qual elenca uma série de críticas e desabafos — e um novo anúncio: vai encerrar a sua conta na rede social. “Que este meu afastamento do facebook seja a vossa felicidade…”, escreveu (pode ler a publicação na íntegra no final do texto).

O seu afastamento do Facebook — que não especifica se é definitivo ou temporário — é apenas uma das informações que partilha neste seu último post publicado ao final da manhã desta segunda-feira. A mensagem começa, aliás, com novas farpas a Jaime Marta Soares, que acusa “atraiçoar quem sempre o defendeu”. E recorda: “Ontem o Jaime Soares dava-me palmadinhas nas costas e desejava-me as melhoras e que hoje fosse um dia muito bom para mim e a “Joaninha”. De repente o poder caiu à rua e já veio atraiçoar quem sempre o defendeu”.

Em defesa das suas publicações no Facebook, Bruno de Carvalho também questiona por que motivo as criticam. E quais, em concreto, são questionadas, listando uma série de temas que vão desde os vouchers aos posts em que defendeu a introdução de novas tecnologias no futebol, sem esquecer aqueles em que, escreveu, “aqueles que dei o corpo às balas por tudo neste Clube?”

É nessse sentido que justifica o seu abandono do Facebook, onde é habitual publicar as suas críticas e estados de alma, incluindo os mais recentes que criaram o clima de crise no clube de Alvalade. “Eu não quero mais enxovalhos em prol de quem não merece.” Por isso, adianta, “se o Sporting CP fica mais forte desta forma, seja feita a vontade da maioria. Para mim ficará a missão de gerir o Clube da forma que acham melhor. Erradíssima mas o Clube é vosso”. Sobre o seu afastamento, comenta, “que seja a vossa felicidade… E eu que sempre julguei que seria o sermos campeões em tudo. Ingénuo”, remata.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Para mim terminou de vez esta guerra surda de vos querer manter informados pelo meu único canal de informação próprio, o meu Facebook, e estou ansioso de ver esse exército pronto para a luta, essa militância inquestionável, onde desde rivais, políticos, comunicação social, ministério público, Clubes, Liga, Federação entre tantos, vão se estar nas tintas como sempre estiveram até chegar esta Direcção.”

Assumindo o papel de “voz incómoda”, alega que o clube vai perder expressão e voz. “Vamos aos poucos ser novamente um Clube submisso, calado, sem expressão e sem voz. A voz que se opõe com frontalidade contra tudo e contra todos. Que nunca terá o amor dos jogadores pois como disse Adrien “defendo o Sporting CP sempre”. Neste ponto, o presidente reforça que não cede um milímetro “no amor ao clube”, mas que a estratégia mudou.

Sobre o plantel, deixa no ar uma nota de dúvida e sarcasmo: “Os jogadores e treinadores hoje estão aqui e amanhã ali. Não podem nunca com a conivência de adeptos “ganharem” ao seu Presidente. Agora quando quiserem sair é fácil, fazem um Instagram e recebem uma ovação de pé.” Uma alusão direta às posições assumidas na passada sexta-feira por vários jogadores, incluindo o capitão Rui Patrício, e expressas em publicações no Instagram e outras redes sociais, que valeram a suspensão de futebolistas.

Ainda assim, recorda que na próxima quinta-feira estará a acompanhar o clube no jogo da segunda mão da Liga Europa, frente ao Atlético de Madrid. “Lá nos veremos, com assobios mas sem insultos. Eu quero é que o Sporting CP ganhe o resto… o resto é isso mesmo, efémero…”

Não é a primeira vez que Bruno de Carvalho deixa as redes sociais. A última vez foi em maio do ano passado, tendo na altura justificado a sua decisão pelo efeito “perverso” que a utilização do Facebook acabou por ter, ao transformar proximidade em “intromissão” na sua vida pessoal.

O texto publicado no facebook na íntegra:

“A vida tem coisas engraçadas!

Ontem, o Jaime Soares dava-me palmadinhas nas costas, e desejava-me as melhoras e que hoje fosse um dia muito bom para mim e para a “Joaninha”. De repente, o poder caiu na rua e já veio atraiçoar quem sempre o defendeu. E colocou em perigo coisas importantíssimas da SAD.

Os males do mundo, para os Sportinguistas, são os meus facebooks

Quais?

Aqueles que denunciaram os vouchers? Que conseguiram a consagração de Peyroteo? Os que denunciaram corruptos? Os que contribuiram para o fim dos fundos ou a introdução das novas tecnologias no futebol? Aqueles em que dei o corpo às balas por tudo neste Clube? Os em que exijo os nossos 22 Títulos de Campeões Nacionais? Aqueles em que, com factos, denuncio situações gravíssimas que se vivem dentro e fora do Clube?

Eu não quero mais enxovalhos em prol de quem não merece. Querem viver na ignorância e sem defesa à altura das necessidades do nosso Clube?

Se o Sporting CP fica mais forte desta forma, seja feita a vontade da maioria. Para mim ficará a missão de gerir o Clube da forma que acham melhor. Erradíssima, mas o Clube é vosso.

Vamos, aos poucos, ser novamente um Clube submisso, calado, sem expressão e sem voz. Porque vamos perder a voz! A voz incómoda. A voz que se opõe, com frontalidade, contra tudo e contra todos. Que nunca terá o amor dos jogadores, pois como disse Adrien, “defendo o Sporting CP sempre”. Vamos novamente perder todo o respeito que, aos poucos, estávamos a ganhar em alguma comunicação social e em muitos Stackholders. Isso vai morrer. Os jogadores e treinadores hoje estão aqui e amanhã ali. Não podem nunca, com a conivência de adeptos, “ganharem” ao seu Presidente. Agora, quando quiserem sair é fácil, fazem um Instagram e recebem uma ovação de pé.

Não cedo um milímetro no meu amor a este Clube, à sua defesa, mas para mim terminou de vez esta guerra surda de vos querer manter informados pelo meu único canal de informação próprio, o meu Facebook. E estou ansioso por ver esse exército pronto para a luta, essa militância inquestionável, onde desde rivais, políticos, comunicação social, Ministério Público, Clubes, Liga, Federação, entre tantos, vão estar-se nas tintas, como sempre estiveram, até chegar esta Direcção.

Que este meu afastamento do Facebook seja a vossa felicidade! E eu que sempre julguei que seria o sermos campeões em tudo. Ingénuo!

Quinta-Feira lá nos veremos, com assobios mas sem insultos. Eu quero é que o Sporting CP ganhe o resto… O resto é isso mesmo, efémero…

Viva o Sporting CP, e o resto não interessa!”