Santos Populares

Lançar balões pelo smartphone. A realidade aumentada chegou aos Santos Populares

Há uma aplicação de realidade aumentada que permite registar de forma criativa os Santos Populares e lançar um balão (virtual) para o céu a partir do smartphone, através de cartões postais gratuitos.

Através da aplicação “Zappar”, o utilizador aponta a câmara do seu smartphone para o cartão e, literalmente, entra na festa dos Santos Populares.

MASSFAR

O Santo António já começou, o São Pedro e o São João estão a chegar e, nas festas, não falta a sardinha assada, os manjericos, os casamentos, os martelos, os balões e os arraiais. As ruas enchem para dançar, para comer e para ver a festa. E se tudo isto pudesse ser feito virtualmente e partilhado com o mundo?

A Massfar, uma empresa de realidade aumentada sediada no Brasil, criou uma aplicação que permite utilizar a tecnologia para celebrar e viver as festas dos Santos Populares de maneira diferente. Para quem vai à festa, é possível registar os momentos e atribuir-lhes um toque mais original. Para quem não pode estar presente, é como se lá estivesse.

O processo é simples: há um cartão postal dedicado a cada celebração, que está a ser distribuído gratuitamente nos principais hotéis e restaurantes de Lisboa (Santo António) e Sintra (São Pedro) e nos pontos de apoio ao turismo no Porto (São João). Através da aplicação “Zappar”, o utilizador aponta a câmara do seu smartphone para o cartão e, literalmente, entra na festa. Lá dentro, e movendo o cartão, abre-se o mundo da festa, sendo possível tirar fotografias no local onde o visitante está, decorá-las com elementos alusivos a cada celebração (manjericos, fogo-de-artifício, fitas, sardinhas…) e até lançar um balão virtual personalizado, registar o momento e partilhá-lo com o mundo.

A ideia foi pensada por Mário Faria que decidiu criar a aplicação depois de uma conversa com a filha mais nova, que esteve seis meses a estudar no Porto. “Ela voltou ainda mais apaixonada por Portugal e comentou sobre a alegria e pureza das tradicionais festas Joaninas, mas estava um pouco triste porque uma das alegrias das festas era a prática de lançar balões e isso já não era permitido”, contou o presidente da Massfar ao Observador.

No ano passado, as festas de São João foram marcadas pela proibição do lançamento de balões, devido ao elevado risco de incêndio e das tragédias que assolaram o país. A tradição de anos foi suspensa, para desagrado de alguns. Mário quis trabalhar uma solução para a preservar e, ao mesmo tempo, não envolvendo qualquer risco de segurança: fazendo uso da realidade aumentada.

O mote estava dado e bastaram três meses para a empresa desenvolver o projeto para as festas dos três Santos Populares em Portugal. O processo, conta o empreendedor, “já foi uma festa” porque a ideia foi acolhida de braços abertos. “O objetivo é manter a tradição, utilizando a tecnologia e mostrar que, quando a usamos para o bem, infinitas possibilidades estão à nossa volta, basta ficar de olho nas necessidades das pessoas”, acrescentou.

Os cartões postais para utilizar na aplicação são distribuídos gratuitamente em Lisboa, Sintra e no Porto.

O projeto contou com a ajuda de uma empresa em Sintra, que se disponibilizou para a impressão dos cartões postais, a Gráfica Euro2. Para Mário Faria, as festas dos Santos Populares tornaram-se especiais desde a viagem que fez a Portugal há quatro anos: “O que nos atraiu mais foi a alegria saudável e inocente do povo que volta a ser criança para se divertir”, explica.

A Massfar é a empresa líder em criação de conteúdos para tecnologia de realidade aumentada e virtual no Brasil. Este é o segundo projeto que a empresa desenvolve em Portugal.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)