Vistos Gold

Bloco quer fim dos vistos gold e diz que, de mais de 5 mil, apenas 9 criaram emprego

307

Bloco de Esquerda vai entregar esta quinta-feira uma proposta de lei para revogar "a autorização de residência para atividade de investimento". Medida estimula corrupção e especulação, justificam.

A proposta do Bloco de Esquerda tem apenas três artigos

José Sena Goulão/LUSA

O Bloco de esquerda vai propor esta quinta-feira no Parlamento o fim dos vistos gold. Segundo o partido, esta medida para permitir que estrangeiros que invistam no país tenham autorização para residir é causa de especulação imobiliária, tráfico de influências e peculato, avança o Diário de Notícias. O partido afirma que apenas 9 dos 5700 processos de Visto Gold entre fevereiro e março criaram emprego.

O deputado e vice-presidente da Assembleia da República José Manuel Pureza afirmou ao DN que “esta figura dos vistos gold apresenta um conjunto de traços profundamente negativos que, tudo ponderado, nos leva a dizer que deve ser eliminado”.

O político acusou ainda a medida de beneficiar as “oligarquias de países, como a China,(…) Rússia, Angola”, dizendo que apenas é preciso pagar meio milhão de euros por uma casa, que ” pouco importa que o imóvel não valha tanto” e leva a “práticas de corrupção, tráfico de influências, peculato e branqueamento de capitais, e a outros ilícitos fiscais e criminais”.

O Bloco de Esquerda acusou o governo de manter este regime de autorização de residência criado pelo antigo executivo, em 2012, e citou a argumentação da eurodeputada socialista Ana Gomes num debate no Parlamento Europeu, em que Portugal foi acusado de dar “guarida a um esquema (…) importação da corrupção e da criminalidade organizada para a União Europeia”.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Caso Vistos Gold

Um voto para 2019

Rita Fontoura
141

No nosso País um canalha cuja intenção não se possa provar é uma vítima do Ministério Público e do julgamento público e, coitado, deixa de poder fazer canalhices no lugar que ocupava

Caixa Geral de Depósitos

Caixa para que te quero

Inês Domingos

Centeno quis a toda a força financiar a Caixa para lá do que seria aparentemente preciso, mas disse no Parlamento que não tem interesse no resultado da auditoria que revelou os desmandos socialistas. 

Liberalismo

Por uma alternativa política

Manuel Loureiro

Vivemos contentes com crescimentos poucochinhos, resignados a um aperto económico com que as famílias vivem? Se em 1974 ganhámos a democracia, não estará agora na hora de lutarmos pela liberdade?

Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)