A batalha judicial entre Angelina Jolie e Brad Pitt pela custódia dos filhos parece estar longe de terminar. O juiz terá ordenado que a atriz deve deixar os filhos passarem mais tempo com o pai, caso contrário o seu tempo com as crianças pode ser reduzido.

De acordo com os mais recentes documentos judiciais, e segundo o El País, Jolie pode estar em perigo de perder a guarda dos seis filhos — Maddox, de 16 anos, Pax, de 14, Zahara, de 13, Shiloh, de 12, e os gémeos Knox e Vivienne, de nove –, caso não cumpra a ordem do tribunal.

O juiz afirma que o facto de os jovens “não terem um relacionamento com o pai é prejudicial”, sublinhando que “é importante que cada um dos seis tenha uma relação saudável e forte com o pai e com a mãe”.

O tribunal elaborou ainda um plano com os passos específicos que Jolie deve tomar para ajudar Brad Pitt a estar com os filhos, incluindo um novo horário de visitas para o período do verão e acesso telefónico sem influência ou qualquer interferência da atriz. O plano inclui todos os filhos do casal, excepto Maddox, que já tem idade para decidir.

Um representante de Jolie reagiu publicamente às notícias que pintam uma imagem “injusta” da atriz e disse o seguinte ao jornal The Sun: “É deplorável que alguém, por razões egoístas, torne públicos excertos de um documento confidencial para criar um cenário injusto e impreciso do que está realmente a acontecer”.

Angelina Jolie tem a custódia total dos filhos, pelo que Brad Pitt pode vê-los uma vez por semana sob supervisão. O casal está separado desde 2016, altura em que a atriz o pediu em divórcio “em nome da saúde da família”, e, desde então, Jolie tem limitado o tempo do ator com as crianças, segundo o The Sun.