Portugal sabia que o desafio que ia enfrentar seria difícil de engolir: a seleção nacional entrou em campo com o rótulo de preterido, mas de tudo fez para combater o estigma. Fazer tudo não bastou: Cavani e Suárez estavam preparados para neutralizar os melhores trunfos da equipa portuguesa e o atacante do Paris Saint-Germain aproveitou todos os calcanhares de Aquiles de Portugal. O resultado descaiu para o lado uruguaio e Portugal, mesmo jogando melhor do que nas últimas partidas, ganhou um bilhete direto de regresso a casa. A tristeza abateu-se sobre a seleção vermelha e verde que este sábado jogou de branco.

A seleção nacional sofreu até ao fim: Cavani marcou pelo Uruguai logo aos sete minutos, mas Portugal não perdeu ritmo com o intervalo e Pepe devolveu a esperança aos adeptos portugueses. Mas foi sol de pouca dura: Cavani voltou a apagar essa esperança com mais um golo na segunda parte e o marcador voltou a pender para o lado contrário. Rui Patrício não foi capaz de defender os remates bem sucedidos do Uruguai, mas foi eficaz: evitou por várias vezes uma derrota mais arrebatadora. Só que nem isso chega para sossegar a tristeza portuguesa.

[Veja os golos de Portugal e do Uruguai em 3D]

Essa tristeza foi sublinhada pelo próprio selecionador nacional. Se no Euro 2016, Fernando Santos prometeu só regressar a casa um dia depois do final do campeonato, desta vez não foi capaz de alongar ainda mais a estadia de Portugal na Rússia. Os jogadores saem de Sochi derrotados depois de, naquele mesmo estádio, terem empatado num jogo renhido e sofrido contra a Espanha na estreia no Mundial. Tudo acabou onde começou. Agora é hora de voltar para casa.

As imagens da derrota portuguesa e da tristeza da seleção nacional na fotogaleria.