A afegã Samira Asghari figura entre os nove membros que deverão ser eleitos em outubro no Comité Olímpico Internacional (COI), anunciou esta sexta-feira o organismo olímpico, numa lista sem Gianni Infantino e Sebastian Coe.

O COI indicou os nomes escolhidos, com a entrada de três mulheres e seis homens, que será avaliada em outubro, na assembleia do organismo, em Buenos Aires. “Nesta nomeação pretendemos enviar um sinal, não só às mulheres, mas aos homens do Afeganistão. Também a todos os países em que as mulheres enfrentam sérios obstáculos para poderem praticar um desporto”, explicou o presidente do COI, Thomas Bach.

Samira Asghari, de 24 anos, é já membro do Conselho Olímpico Asiático, no qual tem sido, segundo explicou Bach, muito ativa na “promoção dos direitos das mulheres na prática desportiva”. As outras duas mulheres indicadas às eleições de outubro são Daina Gudzineviciute, presidente do Comité Olímpico da Lituânia, e Felicite Rwemarika, primeira vice-presidente do Comité Olímpico do Ruanda.

O japonês Morinari Watanabe (Federação Internacional de Ginástica), o brasileiro Andrew Parsons (chefe do Comité Paralímpico), o italiano Giovanni Malago, o paraguaio Camilo Perez Lopez Moreira, o ugandês William Frederick Blick e o butanês Jygyel Ugyen Wangchuck, presidentes dos respetivos Comités Olímpicos, são os restantes candidatos.

Depois de Joseph Blatter (Futebol) e Lamine Diack (Atletismo), envolvidos em escândalos de corrupção, terem saído da comissão do COI, o organismo integrou os seus sucessores, Gianni Infantino e Sebastian Coe. “O COI não queria dar a ideia de interferir nas eleições do próximo ano [na FIFA] e concordamos com Seb [Sebastian Coe], que tem outras prioridades, como colocar em prática as suas reformas no atletismo”, disse o presidente do COI.

O organismo conta com 97 membros, passando a 106 na sessão eleitoral de outubro.