Ryanair

Ryanair vai cobrar entre seis e dez euros por bagagem de mão a partir de novembro

321

A companhia aérea low cost vai cobrar entre seis e dez euros pela bagagem de mão a partir de novembro. Passageiros continuam a poder levar uma mochila ou saco pequeno de graça.

STR/EPA

A Ryanair vai passar a cobrar pela bagagem de mão partir de novembro. A informação está a ser avançada pela agência Reuters. As bagagens médias até 10 kg vão passar a estar sujeitas ao pagamento de um extra que pode ir dos seis aos dez euros. Os passageiros não prioritários vão poder levar uma mala pequena dentro da cabine, colocando-a debaixo do banco do passageiro da frente.

O objetivo passa por agilizar o serviço, garante a Ryanair. Segundo a companhia aérea, têm-se verificado vários atrasos devido ao excesso de bagagem de mão que atualmente é transportada pelos aviões da empresa. Não é previsível que as receitas aumentem com esta medida e a companhia admite alterar algumas regras para compensar este acréscimo. Uma das ideias em cima da mesa é a de rever as dimensões das bagagens admitidas na cabine.

Segundo a empresa sediada em Dublin, a alteração vai afetar apenas 40% dos utilizadores. Isto porque a grande maioria dos passageiros já compra bilhetes prioritários, que não estarão abrangidos por esta alteração.

O diretor de marketing, citado pela Reuters, garante que a expectativa da empresa é que as pessoas que até agora não compram a passagem prioritária “passem a fazê-lo”. Ou então, “que aceitem pagar a taxa correspondente, que pode ir até aos dez euros” por uma bagagem de mão que não ultrapasse os dez quilos.

A Ryanair é a primeira companhia aérea a adotar esta medida.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jmozos@observador.pt
Greve

O povo é quem mais ordena e a CGTP está fora /premium

André Abrantes Amaral

Quando os motoristas de matérias perigosas param o país e não se revêem na CGTP é a própria Concertação Social que está posta em causa, o que revela o quanto a geringonça distorceu esta democracia.

Eleições Espanha 2015

Sombras da guerra civil /premium

Manuel Villaverde Cabral

Não se espera uma nova guerra civil mas não são de afastar enfrentamentos de vários géneros, incluindo físicos, apesar da pertença comum à União Europeia, cujos inimigos em contrapartida rejubilarão!

25 de Abril

O Governo Ensombrado vai ao circo

Manuel Castelo-Branco
143

Se hoje é possível um programa como o Governo Sombra, foi porque o Copcon de Otelo não vingou. Porque apesar de serem “apenas” 17 vítimas mortais, as FP25 foram desmanteladas e os seus membros presos.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)