A Ryanair vai passar a cobrar pela bagagem de mão partir de novembro. A informação está a ser avançada pela agência Reuters. As bagagens médias até 10 kg vão passar a estar sujeitas ao pagamento de um extra que pode ir dos seis aos dez euros. Os passageiros não prioritários vão poder levar uma mala pequena dentro da cabine, colocando-a debaixo do banco do passageiro da frente.

O objetivo passa por agilizar o serviço, garante a Ryanair. Segundo a companhia aérea, têm-se verificado vários atrasos devido ao excesso de bagagem de mão que atualmente é transportada pelos aviões da empresa. Não é previsível que as receitas aumentem com esta medida e a companhia admite alterar algumas regras para compensar este acréscimo. Uma das ideias em cima da mesa é a de rever as dimensões das bagagens admitidas na cabine.

Segundo a empresa sediada em Dublin, a alteração vai afetar apenas 40% dos utilizadores. Isto porque a grande maioria dos passageiros já compra bilhetes prioritários, que não estarão abrangidos por esta alteração.

O diretor de marketing, citado pela Reuters, garante que a expectativa da empresa é que as pessoas que até agora não compram a passagem prioritária “passem a fazê-lo”. Ou então, “que aceitem pagar a taxa correspondente, que pode ir até aos dez euros” por uma bagagem de mão que não ultrapasse os dez quilos.

A Ryanair é a primeira companhia aérea a adotar esta medida.