Espanha quer voltar a ser o país anfitrião de um grande torneio de seleções. Luis Rubiales, presidente da Real Federação Espanhola de Futebol, Pedro Sánchez, presidente do Governo espanhol e Gianni Infantino, presidente da FIFA, reuniram na manhã desta quarta-feira no Palácio da Moncloa, a residência oficial de Sánchez, com o objetivo de organizar uma campanha que leve o futebol internacional de regresso a terras espanholas. A última vez que Espanha organizou um Europeu ou um Mundial foi já em 1982, quando a seleção italiana se tornou campeã do mundo.

As duas grandes competições em cima da mesa são o Campeonato da Europa de 2028 e o Campeonato do Mundo de 2030. De acordo com o jornal Marca, a prioridade, atualmente, será o primeiro: a ideia dos responsáveis pelo futebol espanhol era fazer uma candidatura conjunta com Portugal e Marrocos ao Mundial 2030 – não só devido à partilha de custos como também à força que a proposta ganhava com outros dois países -, mas a nação africana antecipou-se e já anunciou que vai concorrer a solo, competindo assim com a candidatura conjunta da Argentina, do Uruguai e do Paraguai. Assim sendo, a Real Federação Espanhola de Futebol e o próprio Governo do país viraram o azimute para o Europeu 2028 e, neste caso, continuam a contar com o apoio português.

De recordar que Portugal e Espanha avançaram com uma candidatura conjunta para organizar o Mundial 2018, mas a Rússia acabou por ganhar a corrida. O país que foi duas vezes campeão da Europa e uma campeão do mundo em apenas seis anos vai integrar a organização do Euro 2020 — que vai ser espalhado por várias cidades europeias – e o estádio do Atl. Bilbao vai ser um dos palcos do torneio.

Nos anos seguintes, já se sabe que será o Qatar a organizar o Mundial 2022 enquanto que o Campeonato do Mundo de 2026 será disputado nos Estados Unidos, no México e no Canadá. Alemanha e Turquia ainda discutem a organização do Europeu 2024: a decisão será anunciada a 27 de setembro.