Cinema

Morreu a realizadora francesa Marceline Loridan-Ivens

A cineasta, produtora e escritora, deportada aos 15 anos para um campo de concentração alemão, ficou conhecida por denunciar a injustiça e a violência durante toda a sua vida.

JUAN FERRERAS/EPA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

A realizadora francesa Marceline Loridan-Ivens, sobrevivente do Holocausto, morreu esta terça-feira em Paris, aos 90 anos, anunciou o advogado da família.

Marceline Loridan conviveu no campo de Auschwitz-Birkenau com Simone Veil, destacada figura da vida política francesa e defensora de um projeto de lei que despenalizou a interrupção voluntária da gravidez em França.

A cineasta, produtora e escritora, deportada aos 15 anos para um campo de concentração alemão, ficou conhecida por denunciar toda a vida a injustiça e a violência. Loridan e o pai foram detidos em Bollène pela Gestapo, em fevereiro de 1944. Depois de serem enviados ao campo de Drancy, nos arredores de Paris, foram deportados para Auschwitz-Birkenau, em abril.

Loridan entrou no mundo do cinema graças ao filósofo Edgar Morin, que a introduziu nas filmagens, com Jean Rouch, no documentário “Chronique d’un été”. Mais tarde, com o segundo marido, o holandês Joris Ivens, realizou importantes documentários sobre o Vietname e a China de Mao Tsé-Tung.

Em 2010, já viúva de Joris Ivens, representou o cineasta no DocLisboa, festival de cinema em Portugal exclusivamente dedicado ao documentário.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
CDS-PP

O governo merece uma censura /premium

João Marques de Almeida

Se o Presidente, o PM e os partidos parlamentares fossem responsáveis e se preocupassem com o estado do país, as eleições legislativas seriam no mesmo dia das eleições europeias, no fim de Maio. 

Arrendamento

A coisa /premium

Helena Matos

Programas para proprietários que antes de regressarem à aldeia entregam ao Estado as suas casas para arrendar. Torres com 300 apartamentos. O arrendamento tornou-se na terra da intervenção socialista

Médicos

Senhor Dr., quanto tempo temos de consulta?

Pedro Afonso

Um dos aspetos essenciais na relação médico-doente é a empatia. Para se ser empático é preciso saber escutar. Ora este é um hábito que se tem vindo a perder na nossa sociedade, e nas consultas médicas

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)