Chamam-se #respectbattles e, ao contrário das habituais batalhas de rimas do hip hop, têm como adversário não um rapper rival mas sim a propagação do ódio. A APAV (Associação Portuguesa de Apoio à Vítima) pediu aos rappers portugueses do movimento hip hop que dirijam palavras de incentivo a vítimas de descriminação, para esta campanha de sensibilização, e o terceiro vídeo, publicado esta terça-feira, conta com a rapper M7, que acompanha Capicua em palco e que tem um alter-ego muito popular no Youtube, Beatriz Gosta.

M7, que na verdade se chama Marta Bateira, ficou responsável por proferir palavras contra a discriminação a pessoas LGBTIQ+ (lésbicas, gays, bissexuais, transgénero, intersexuais, queer), no terceiro vídeo desta campanha. Nele, vê-se M7 falar com uma pessoa que simboliza as vítimas desse preconceito, dizendo-lhe “acredita em ti, em ti tudo é perfeito / nasceste assim para pôr fim ao preconceito”, “não tenhas medo porque não estás sozinha” ou “o direito à liberdade não tem sexo, credo ou cor / quem diz que é promiscuidade sabe zero de amor”.

Antes de M7, já tinham sido reveladas as rimas de Malabá, rapper e dinamizador do campeonato de batalhas de hip hop Liga Knockout, e Ace, fundador do grupo percursor do hip hop do Porto, Mind da Gap. Ace tinha dedicado a sua batalha de rimas ao ódio étnico e racial, proferindo palavras a um rapaz negro como “mandam-te para a tua terra como se não fosse esta”, “quem te julga pela pele não se sente bem na dele”, “racismo é inveja, medo, fraqueza, complexo” e “sou pela diversidade e união pelo amor”.

A campanha de sensibilização “conta com o cofinanciamento do Programa Direitos, Igualdade e Cidadania/Justiça da União Europeia, com a parceria nacional da Polícia Judiciária e da Procuradoria-Geral da República, bem como com a parceria associada da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, e ainda com organizações europeias parceiras”, refere o site da APAV. Entre as últimas organizações estão a Faith Matters (Reino Unido), Solidarci (Itália), Swedish Crime Victim Compensation and Support Authority (Suécia), Victim Support Austria (Áustria) e Victim Support Malta (Malta). Nos países parceiros serão realizados vídeos semelhantes.

Em Portugal, os próximos vídeos desta campanha serão protagonizados por Papillon, rapper do grupo GROGNation e autor do disco a solo Deepak Looper, e Estraca. O primeiro enfrentará uma vítima de ódio e intolerância religiosa, o segundo uma vítima de ódio a imigrantes e refugiados, e os vídeos serão publicados respetivamente a 15 e 22 de outubro.