António Costa

Costa diz que desenvolvimento do país só se consegue “pedalando”

552

"O processo de desenvolvimento é como a bicicleta. Ou continuamos a pedalar e a avançar ou paramos de pedalar e caímos", afirmou António Costa sobre o processo de desenvolvimento do país.

PAULO NOVAIS/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O primeiro-ministro, António Costa, comparou esta quinta-feira, em Paredes de Coura, o processo de desenvolvimento do país a uma “bicicleta”, afirmando que para “avançar” é preciso “pedalar sempre”, fazendo “mais e melhor”.

“O processo de desenvolvimento é como a bicicleta. Ou continuamos a pedalar e a avançar ou paramos de pedalar e caímos. Como não podemos cair, temos de continuar a pedalar, temos de fazer mais e fazer melhor”, afirmou.

António Costa falava durante a cerimónia de lançamento do concurso da empreitada de construção da nova ligação rodoviária do parque empresarial de Formariz, em Paredes de Coura, à autoestrada A3 (nó de Sapardos), num investimento de 9,5 milhões de euros suportados apenas pelo Orçamento do Estado.

Para o chefe do Governo, a criação das infraestruturas rodoviárias previstas no Programa de Valorização das Áreas Empresariais lançado pelo Governo, em fevereiro de 2017, vai “potenciar o desenvolvimento é absolutamente essencial para o conjunto do pais”. O acesso rodoviário esta quinta-feira lançado a concurso público, com cerca de 8,8 quilómetros de extensão, é reclamado há cerca de duas décadas.

“Estes 8,8 quilómetros que parecem uma pequena distância fazem uma enorme diferença para a competitividade de todas as empresas que existem aqui em Paredes de Coura”, disse Antónia Costa, justificando que o “grosso” do investimento público “tem estado concentrado na ferrovia e nos portos de mar, por serem ligações “essenciais para a internacionalização da economia portuguesa”, disse durante a cerimónia que decorreu sede da empresa Fly London, do grupo Kyaia – maior empregador do concelho.

O primeiro-ministro realçou que a “pequena infraestrutura” hoje lançada a concurso vai “fazer uma enorme diferença” em Paredes de Coura, concelho que “já demonstrou ter todas as condições para que valha a pena fazer investimento público”.

“O desemprego a nível nacional está nos 6,8 % mas aqui em Paredes de Coura está abaixo dos 5%. Aqui em Paredes de Coura as exportações têm crescido, ao longo dos últimos anos, de uma forma muito significativa. De 2013 até hoje aumentou 10 vezes o volume de exportações. Temos que fazer esta estrada para criar melhores condições para que este processo de crescimento se possa continuar a desenvolver”, frisou.

Segundo dados avançados pelo presidente da Câmara de Paredes de Coura, Vítor Paulo Pereira, no parque empresarial de Formariz , que vai ser servido pela nova ligação, estão instaladas 35 empresas que representam um volume de negócios de 200 milhões de euros, sendo que 150 milhões em exportações.

O autarca socialista afirmou que o concelho “merece” a nova estrada porque já “perdeu muito” com a sua ausência. “Perdemos muito investimento do ponto de vista do turismo tem sido uma desgraça”, referiu Vítor Paulo Pereira. “Não é uma estrada de piedade ou porque temos maior proximidade com as entidades e estruturas do Estado mas porque a merecemos. Quem trabalha e luta muito merece ser premiado”, reforçou.

Já o empresário do grupo Kyaia, Fortunado Frederico, apelou ao primeiro-ministro para apoiar o interior do país. “É gente de garra. Senhor primeiro-ministro é esta gente do interior que tem de ser apoiada não é gente que aparece nas revistas e nos ?cocktails’. Não se esquivam ao trabalho. É isto que temos de aprender com as pessoas do interior, são muito mais dedicadas ao trabalho, muito mais repensáveis e que o poder central tem de as apoiar, mas sem limite”, disse Fortunato Frederico que há 30 anos instalou naquele parque uma fábrica da Fly London.

A empreitada agora lançada “visa a melhoria das condições de acessibilidade, circulação e segurança” naquele troço e envolve a execução de “quatro novas rotundas para beneficiação das condições de mobilidade na ligação à rede viária local, a construção de oito obras de arte e de uma ponte sobre o Ribeiro das Corredouras”.

A obra inclui a construção de dois pontões, sobre a Ribeira de Sapardos e sobre a Ribeira de Borzendes, de duas passagens agrícolas, duas passagens inferiores e uma passagem superior para peões”.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
PSD

São brancos, que se entendam /premium

Paulo Tunhas

Ninguém percebe qual é a partitura do PSD e qual a sinfonia que Rio ou Montenegro vão tocar, algo imprescindível para uma pessoa decidir se vai ou não ao concerto. Pode ser tudo e mais alguma coisa.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)