Liga dos Campeões

PSG-Estrela Vermelha, da Liga dos Campeões, sob investigação por suspeita de manipulação de resultados

O PSG-Estrela Vermelha, da 2.ª jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões, está a ser investigado por suspeita de manipulação de resultados. Um dirigente sérvio apostou contra o próprio clube.

O PSG venceu o Estrela Vermelha por 6-1, com golos de Neymar, Cavani, Di María e Mbappé

AFP/Getty Images

As autoridades francesas estão a investigar o jogo PSG-Estrela Vermelha, do passado dia 3 de outubro, a contar para a 2.ª jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões, por suspeita de manipulação de resultados. De acordo com o jornal desportivo francês L’Equipe, que esta sexta-feira revela o caso, a polícia francesa foi alertada pela UEFA depois do organismo que regula o futebol europeu ter recebido a informação de fonte credível de que um dirigente do clube sérvio tinha apostado cinco milhões de euros na derrota do Estrela Vermelha por cinco golos de diferença.

Na semana passada, num jogo arbitrado por Artur Soares Dias, os franceses venceram os sérvios por 6-1 no Parque dos Príncipes – logo, este dirigente do clube de Belgrado, que utilizou vários cúmplices para a realização das apostas, ganhou dezenas de milhões de euros com a aposta. Segundo o jornal francês, a UEFA foi avisada da intenção deste dirigente dias antes do jogo e prontamente informou as autoridades francesas.

O PSG venceu o Estrela Vermelha de Belgrado com um hat-trick de Neymar e golos de Edinson Cavani, Di María e Mbappé. Ao intervalo, os franceses já venciam por 4-0 e os sérvios só conseguiram responder com um golo solitário de Marko Marin. O Estrela Vermelha está esta temporada de regresso à Liga dos Campeões depois de uma ausência de 26 anos. Integrados no Grupo C, surpreenderam ao empatar sem golos em Belgrado com o Nápoles antes de serem goleados em Paris. Na próxima jornada, a 24 e outubro, visitam o Liverpool em Anfield Road.

De recordar que, depois deste jogo, PSG e Estrela Vermelha foram multados pela UEFA devido à violência entre claques. Franceses e sérvios já reagiram entretanto às notícias de que o jogo entre os dois clubes está a ser investigado. Em comunicado, o PSG diz que foi “com o maior espanto que soube desta informação” e “rejeita categoricamente qualquer envolvimento direto ou indireto em relação à suspeita de resultados combinados”. Já o Estrela Vermelha declara-se “escandalizado e enojado” e “nega as acusações em relação ao jogo PSG-Estrela Vermelha e o envolvimento de qualquer pessoa do clube em ações contrárias à honra”. “O Estrela Vermelha espera que a verdade se estabeleça no menor prazo possível e que desapareça qualquer dúvida sobre um vínculo de um membro do clube com estes atos. Estas acusações trazem um grande prejuízo ao nome e à reputação de nosso clube. É por isso que o Estrela Vermelha insiste diante dos órgãos competentes na Sérvia, na UEFA e em França para que investiguem até o fim”, acrescenta o comunicado do clube de Belgrado.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mfernandes@observador.pt
PSD

Quando o Papa não é católico /premium

Rui Ramos

Para o PSD, a exclusão do PCP e do BE é a grande prioridade nacional. Mas para isso, é indiferente votar PSD ou PS. Como explicaram os quadros do BCP, uma maioria absoluta do PS também serve.

Corrupção

O caso da OCDE e a corrupção /premium

Helena Garrido

O que se passou com a OCDE foi grave. O responsável pelo estudo foi impedido de estar presente na apresentação. E uma conferência da Ordem dos Economistas foi cancelada. Aconteceu em Portugal.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)