Hospital de São José

Quatrocentas pessoas em cordão humano por uma nova ala pediátrica no São João

1.158

Mais de quatrocentas pessoas formaram este sábado um cordão humano no Hospital São João, no Porto, pela construção "urgente" da ala pediátrica daquela unidade.

ESTELA SILVA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Mais de quatrocentas pessoas formaram este sábado um cordão humano no Hospital São João, no Porto, pela construção “urgente” da ala pediátrica daquela unidade. O cordão foi feito em redor dos contentores onde funcionam provisoriamente os serviços e os participantes acenderam então, em simultâneo, as lanternas dos seus telemóveis.

O porta-voz da Associação Pediátrica Oncológica, entidade dinamizadora da iniciativa, sublinhou aos jornalistas que a nova ministra da Saúde, Marta Temido, “conhece o projeto de dentro e de fora e, portanto, é a pessoa indicada para o mandar executar rapidamente”.

Isto porque, assinalou, Marta Temido foi, enquanto representante da Administração Central dos Sistemas de Saúde, subscritora de um memorando assinado em 01 de junho de 2017, “em que considerava a nova Ala Pediátrica do Hospital São João uma coisa urgentíssimo”. O responsável referiu que a “cada dia que passa” a saúde das crianças internadas é posta em causa.

Um dos participantes no cordão humano era Syder José, 60 anos, que comparou o que se passa com a Ala Pediátrica ao processo de transferência do Infarmed para o Porto.

“É o Infarmed 2”, ironizou.

“Vim cá por solidariedade”, afirmou, por seu lado, Ricardo Vale, de 38 anos, que deslocou ao Porto de propósito, a partir de Famalicão, para esta iniciativa. Já José Almeida, 70 anos, justificou a sua presença no cordão humano por “solidariedade com quem não tem culpa que haja energúmenos neste país”.

Há dez anos que o hospital tem um projeto para construir uma nova ala pediátrica, mas desde então o serviço tem sido prestado em contentores. Em junho, o presidente do Centro Hospitalar do São João afirmou que o problema do centro ambulatório pediátrico, que inclui o hospital de dia da pediatria oncológica, ficou resolvido, mas, acrescentou, “continuam a faltar as instalações do internamento pediátrico”.

Posteriormente, em 19 de setembro, o Governo autorizou a administração do Centro Hospitalar Universitário de São João a lançar o concurso para a conceção e construção das novas instalações do Centro Pediátrico.

Já na última quinta-feira, oposição e maioria de esquerda na Assembleia da República trocaram acusações sobre as responsabilidades no atraso do início da construção, entre o atual Governo e os anteriores, nomeadamente o liderado por Passos Coelho (PSD/CDS-PP).

Um dia depois, o parlamento aprovou um projeto de resolução do PCP a recomendar ao executivo socialista “que desbloqueie a construção da nova ala pediátrica do Hospital de São João”. O documento dos comunistas obteve votos favoráveis de todas as bancadas à exceção da do PSD, que votou contra.

Por seu turno, uma resolução dos sociais-democratas para que o Governo adotasse “todos os procedimentos e medidas necessárias para que se proceda à construção, no mais curto espaço de tempo possível”, das novas instalações do centro pediátrico do Centro Hospitalar Universitário de São João foi chumbada com votos contra de PS, BE, PCP e PEV e votos a favor de PSD, CDS-PP e PAN.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Hospitais

Hospital de São José em Agosto

Jaime Nogueira Pinto
1.572

Esquecendo os meus males naquela tarde de Agosto pensei no privilégio de ali estar em São José, onde a presença do Bem se ia impondo no meio do mal, onde a caridade e a eficácia superavam tudo o resto

Liberdades

O medo da liberdade /premium

Paulo Tunhas

O que esta nova esquerda busca não se reduz ao desenvolvimento de um Estado tutelar. É algo que visa a perfeita eliminação da sociedade como realidade distinta do Estado. Basta ouvir Catarina Martins.

25 de Abril

Princípio da União de Interesses

Vicente Ferreira da Silva

O nosso sistema de governo promove desigualdades entre os cidadãos, elimina a responsabilidade dos titulares de cargos públicos e limita as liberdades, os deveres e os direitos fundamentais.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)