Ao 14ª dia da visita oficial dos duques de Sussex ao Pacífico, Meghan Markle voltou a subir à tribuna e fez um discurso que marcou a noite de domingo. De passagem pela Nova Zelândia, os príncipes foram recebidos pelo governador-geral, em Wellington, no dia em que o país assinalou os 125 anos do sufrágio feminino. “É com orgulho que nos juntamos a vocês nesta noite, a celebrar o 125.º aniversário do sufrágio das mulheres no vosso país”, começou por introduzir Meghan.

No dia em que o Brasil foi às urnas para eleger o novo presidente da república e no mês em que também a cantora Taylor Swift resolveu falar sobre o direito de voto na sua conta de Instagram, Markle enalteceu o feito histórico daquele que foi o primeiro país do mundo a dar às mulheres o direito de votarem, mas também apelou à importância do gesto hoje. “Enquanto ansiava por esta ocasião especial, pude refletir na importância desta conquista, mas também no impacto ainda maior do que ela simboliza. Porque sim — o sufrágio feminino tem a ver com feminismo, mas o feminismo tem a ver com justiça”, afirmou durante o discurso.

“O sufrágio não tem a ver, simplesmente, com o direito ao voto, mas também com o que isso representa. O direito humano básico e fundamental de serem capazes de participar nas escolhas do vosso futuro e  da vossa comunidade […] E o sufrágio feminino não tem a ver, simplesmente, com o direito das mulheres ao voto, mas também com o que isso representa. O direito humano básico e fundamental de todas as pessoas — incluindo membros da sociedade que tem sido marginalizados, por questões de raça, de género, de etnia ou de orientação — de serem capazes de participar nas escolhas para o seu futuro e para a sua comunidade”, referiu.

Conhecida por ser uma voz dos direitos das mulheres, muito antes de conhecer o príncipe Harry, com quem casou em maio deste ano, Meghan finalizou o discurso com uma frase a sufragista Kate Sheppard: “Tudo o que separa, seja raça, classe, crença ou sexo, é desumano e tem de ser superado”.

Esta não foi a primeira vez que Meghan Markle falou de empoderamento feminino durante a visita oficial dos duques de Sussex aos países do Pacífico. Antes de ter encerrado os Invictus Games, em Sydney, no último fim de semana, já na sua passagem pelas Ilhas Fiji, a princesa tinha aproveitado para fazer um discurso inspirador. No dia 24 de outubro, durante uma visita à University of the South Pacific, em Suva, a capital do país, Meghan falou sobre a importância do acesso das mulheres à educação.

“Todos devem ter a oportunidade de receber a educação que querem, mas, ainda mais importante, a educação que têm direito a receber. E para mulheres e raparigas, em países em desenvolvimento, isso é vital”, afirmou Meghan no seu discurso. “Quando recebem as ferramentas certas para terem sucesso, conseguem criar futuros incríveis, não apenas para elas, mas para os que as rodeiam”, concluiu.

A visita de Harry e Meghan ao Pacífico dura há 14 dias e chegará ao fim na próxima quarta-feira, dia 31 de outubro. O regresso do casal a Londres deverá realizar-se entre quinta e sexta-feira.