UEFA

Mundial 2030. Espanha propõe a Marrocos candidatura a três com Portugal

169

De visita a Rabat, primeiro-ministro de Espanha formalizou junto das autoridades marroquinas o interesse em juntar Marrocos aos dois países ibéricos. Segundo o El País, a ideia colhe "interesse".

Getty Images

O primeiro-ministro espanhol propôs ao rei de Marrocos a organização de uma candidatura a três ao Mundial de 2030. Portugal seria o terceiro parceiro para acolher aquela que será uma competição onde se assinalam os 100 anos sobre os primeiros jogos num campeonato mundial de futebol.

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, à margem da conferência Corações Capazes de Construir, na Gulbenkian esta segunda-feira, afirmou não ter “conhecimento  formal de nenhuma comunicação oficial relativamente a uma candidatura tripartida”, avança o jornal Público. Ainda assim, o ministro não descartou a hipótese de dar mais informações aos jornalistas  “no caso de haver algum tipo de contacto oficial”, mas que “não seria avisado” comentar a proposta neste momento.

A informação está a ser avançada pelo diário espanhol El País, que acompanha a visita de Pedro Sanchéz a Rabat. Na sua edição online, o jornal refere que o cenário apresentado também ao primeiro-ministro Saadedín Al Othmani “está a ser bem recebido pelas autoridades marroquinas”.

Em setembro, o jornal espanhol Marca avançou a informação de que o responsável da Federação Espanhola de Futebol teria analisado a possibilidade de uma candidatura ao Europeu de 2028 juntamente com Portugal. Depois de o cenário ideal falhar — a candidatura conjunta ao Mundial de 2030 a três –, as autoridades espanholas teriam avançado para esse segundo cenário, mais contido, de candidatura ibérica ao Europeu.

Nesse momento, segundo o mesmo diário desportivo, Marrocos seria carta fora do baralho uma vez que, do lado de Rabat, o interesse era avançar com uma candidatura isolada ao Mundial de 2030. No entanto, as informações não têm sido claras a este respeito. É que já em agosto circularam informações do interesse de Marrocos em avançar com Portugal e Espanha numa candidatura para 2030.

Oficialmente, o primeiro sinal de que Espanha estava interessada em concretizar uma candidatura ao Mundial surgiu pela voz de Luis Rubiales, presidente da Real Federação Espanhola de Futebol. Numa visita a Moncloa, a 13 de setembro, juntamente com o presidente da FIFA, Gianni Infantino, Rubiales pediu ao Governo espanhol apoio político para começar a fazer esse caminho — rumo a 2030 ou, em alternativa, rumo a 2028. Sanchéz respondeu que ia estudar a ideia, mas deixava logo aí um sinal em sentido positivo.

Garantida é a candidatura conjunta à organização desse mundial entre Uruguai, Paraguai e Argentina. Uma candidatura com peso simbólico pelo facto de que, precisamente há cem anos, na primeira competição mundial entre seleções de futebol, o Uruguai ter servido de palco.

(Artigo atualizado às 7h30 de terça-feira, dia 20 de novembro)

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: prainho@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)