O El País reuniu num artigo as imagens das maiores estruturas que a arquitetura e a engenharia tornaram possíveis de construir. Desde um edifício que ultrapassa as nuvens a um laboratório que se entranha na Terra até a estátuas imponentes, podemos ver construções que nos remetem para décadas passadas, sendo que outras nos transportam para o futuro.

Do arranha-céus que não parece ter fim à piscina gigante, todos os sítios prometem ser “paragens” obrigatórias para qualquer pessoa. Nem que seja para lhe causar vertigens, como será decerto o caso do arranha-céus Burj Khalifa, no Dubai, se algum dia o puder visitar (fisicamente). A estrutura tornou-se a mais alta do mundo em 2007, quando se construiu o último piso, tendo sido inaugurada em 2010. Com 828 metros de altura e 163 pisos, bateu o recorde atingido pela Taipei 101, em Taipei, na China — este com “apenas” 508 metros de altura.

Já a ponte mais extensa do mundo foi inaugurada há apenas um mês: cerca de 55 quilómetros unem as cidades de Hong Kong, Zhuhai e Macau. Além disso, a estrutura tem ainda inovações, como sensores que monitorizam o ritmo cardíaco dos condutores ou câmaras que controlam a quantidade de bocejos dos mesmos, de forma a perceber se o automobilista está em condições de manter a condução.

Outro exemplo é a Estátua da Unidade, como é conhecida, a maior do mundo, que representa Sardar Vallabhbhai Patel (1975-1950), o político da Índia considerado artífice da unidade do novo país depois deste se tornar independente. 68 anos depois da sua morte, o corpo de Patel foi transformado na maior escultura do mundo, numa construção que durou cinco anos, com 182 metros de altura.

Quanto à estrutura com maior profundidade do mundo, outro sítio estonteante, é o laboratório subterrâneo de Jinping, que está situado abaixo das montanhas de Jinping, em Sichuan, no noroeste da China, a 2.400 metros no subsolo. O laboratório dedica-se a realizar medições no campo da astrofísica nuclear e a investigar a origem dos elementos pesados. Ninguém sabe se algum dia poderá vir a encontrar matéria “obscura”, nunca antes esperada.

Ao todo, são 16 os recordes arquitetónicos, de uma imponência incrível, que pode ver na fotogaleria acima.