Lifestyle

Do arranha-céus que não parece ter fim à piscina gigante: 16 recordes arquitetónicos vertiginosos

O El País reuniu imagens das maiores estruturas que a arquitetura e a engenharia tornaram possível construir. Vão desde um edifício que ultrapassa as nuvens a um laboratório que se entranha na Terra.

Shanghai, China

AFP/Getty Images

O El País reuniu num artigo as imagens das maiores estruturas que a arquitetura e a engenharia tornaram possíveis de construir. Desde um edifício que ultrapassa as nuvens a um laboratório que se entranha na Terra até a estátuas imponentes, podemos ver construções que nos remetem para décadas passadas, sendo que outras nos transportam para o futuro.

Do arranha-céus que não parece ter fim à piscina gigante, todos os sítios prometem ser “paragens” obrigatórias para qualquer pessoa. Nem que seja para lhe causar vertigens, como será decerto o caso do arranha-céus Burj Khalifa, no Dubai, se algum dia o puder visitar (fisicamente). A estrutura tornou-se a mais alta do mundo em 2007, quando se construiu o último piso, tendo sido inaugurada em 2010. Com 828 metros de altura e 163 pisos, bateu o recorde atingido pela Taipei 101, em Taipei, na China — este com “apenas” 508 metros de altura.

Já a ponte mais extensa do mundo foi inaugurada há apenas um mês: cerca de 55 quilómetros unem as cidades de Hong Kong, Zhuhai e Macau. Além disso, a estrutura tem ainda inovações, como sensores que monitorizam o ritmo cardíaco dos condutores ou câmaras que controlam a quantidade de bocejos dos mesmos, de forma a perceber se o automobilista está em condições de manter a condução.

Outro exemplo é a Estátua da Unidade, como é conhecida, a maior do mundo, que representa Sardar Vallabhbhai Patel (1975-1950), o político da Índia considerado artífice da unidade do novo país depois deste se tornar independente. 68 anos depois da sua morte, o corpo de Patel foi transformado na maior escultura do mundo, numa construção que durou cinco anos, com 182 metros de altura.

Quanto à estrutura com maior profundidade do mundo, outro sítio estonteante, é o laboratório subterrâneo de Jinping, que está situado abaixo das montanhas de Jinping, em Sichuan, no noroeste da China, a 2.400 metros no subsolo. O laboratório dedica-se a realizar medições no campo da astrofísica nuclear e a investigar a origem dos elementos pesados. Ninguém sabe se algum dia poderá vir a encontrar matéria “obscura”, nunca antes esperada.

Ao todo, são 16 os recordes arquitetónicos, de uma imponência incrível, que pode ver na fotogaleria acima.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)