Incêndios

Incêndios. Comissão independente apressa Proteção Civil a concluir remodelação e pede critérios “muito exigentes”

140

Relatório do Observatório Técnico Independente para os incêndios insiste para que Proteção Civil apresse a atual remodelação, mas também sublinha que critérios de seleção têm de ser "muito exigentes".

O relatório foi concluído em dezembro de 2018 e divulgado esta terça-feira

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

O Observatório Técnico Independente sobre a avaliação do sistema nacional de proteção civil para o combate aos incêndios florestais defendeu no seu relatório final que a Proteção Civil deve “dispor de critérios muito exigentes para a escolha e nomeação de novos Comandantes” e apressa aquela entidade a concluir “prontamente” a sua remodelação, de forma a “não perturbar a preparação do dispositivo para o ano de 2019”.

O relatório, que foi concluído em dezembro de 2018 e divulgado no site da Assembleia da República esta terça-feira, inclui ainda outra recomendação para que seja reformulado e melhorado o corpo de sapadores florestais (ESF) no continente, à semelhança do que já acontece na Região Autónoma da Madeira. O relatório alerta ainda que a transferência de formação dos atuais elementos das ESF do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) para o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) levou uma perda de “know-how prático e operacional” e a uma “profunda alteração na formação dos elementos”.

Organigrama dos organismos e instituições responsáveis pelo combate aos incêndios florestais.

No que toca às ESF, refere ainda que o facto de os elementos desta força especializada receberem salário mínimo e a falta de reconhecimento profissional “contribuem para a falta de atratividade da profissão”. O relatório aponta que “na sua larga maioria” os membros das ESF têm idades superiores a 35 anos e permanecem em média 5 anos na profissão.

Sobre os corpos de bombeiros, vulgo bombeiros voluntários, o relatório do Observatório Técnico Independente apela à criação de um programa nacional de promoção e incentivo ao voluntariado e defende também a instituiççao de contratos de desenvolvimento a celebrar entre o Estado central e os municípios que detêm corpos de bombeiros próprios, de forma a auxiliar no seu desenvolvimento e sustentabilidade.

O relatório recomenda ainda a afirmação do ICNF como Autoridade Florestal Nacional “em todas as matérias florestais e em todos os regimes de propriedade, de acordo com o estabelecido na lei”. Além disso, é sublinhado que o ICNF “deve assumir uma atitude mais ativa e interventiva junto das populações e das OPF [Organizações de Produtores Florestais], e não meramente reativa após os incêndios rurais”.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jadias@observador.pt
Inovação

O papel e o valor das Cidades em Portugal

Bruno Curto Marques

No Portugal do século XXI, a estratégia para as cidades passa menos por escrever e reescrever os tradicionais planos estratégicos de desenvolvimento, e olhar para as cidades de outra forma.

Cristianismo

Para que na Quaresma não fiquemos na mesma

Filipe Samuel Nunes

Hipátia ensina diferente. A Quaresma não tem apenas a ver com deixer de comer chocolate ou deixer de ingerir álcool por 40 dias. Quaresma tem tudo a ver com a minha peregrinação Cristã.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)