Chris Brown é o nome do músico, mas também do seu primeiro álbum. Primeiro trabalho, primeiro sucesso. Com apenas 16 anos, o jovem artista viu o seu álbum vender dois milhões de cópias e o single Run it! chegar ao primeiro lugar do famoso e exigente ranking musical norte-americano Billboard Hot 100. Artista versátil, descrito como sendo tão bom a dançar como a cantar, é considerado um dos melhores herdeiros do estilo de Michael Jackson a quem é frequentemente comparado. Tem tido uma carreira muito premiada — que vai desde Grammys a prémios MTV, passando por outro tipo de distinções — mas também repleta de polémicas. Desde a condenação por agressões a Rihanna até à detenção esta segunda-feira em Paris, os problemas de Chris Brown com a justiça têm sido uma constante.

Condenado por agressões Rihanna

Até à detenção por violação em Paris esta segunda-feira, Chris Brown tinha tido como caso mais mediático a condenação por agressões a Rihanna. O caso ocorreu em fevereiro de 2009, dias antes da gala dos Grammy Awards, quando o jovem Brown, então com 20 anos, agrediu a namorada, a também já famosa cantora. O músico assumiu a culpa e foi condenado, em junho desse mesmo ano, a cinco anos de pena suspensa. Mais tarde no documentário Chris Brown: Welcome To My Life, o músico conta que ambos discutiam muito por a cantora não ter confiança nele e que — na noite em que ocorreram os factos que levaram à sua condenação — houve tentativas de agressão mútuas. Mas a desproporção de força era evidente: Chris Brown deu um soco violento que abriu o lábio a Rihanna. De seguida, a cantora terá cuspido sangue na cara do namorado, o que, segundo o próprio, o enfureceu ainda mais. As agressões prosseguiram. E as imagens da cara dela, que entretanto se tornaram públicas, diziam tudo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Novo episódio de violência com namorada

O perfil de violência do músico repetiu-se no relacionamento com Karrueche Tran, que durou entre 2011 e 2014. O cantor, que na altura acusou a namorada de o ter traído com o rapper Drake, não terá aceitado bem a separação. De tal forma que Karrueche Tran foi pedindo várias ordens de restrição, que foram sendo desrespeitadas. A última foi decretada em 2017 e o músico foi impedido de se aproximar de Karrueche durante cinco anos. A ex-namorada acusava Brown de a ameaçar de morte e chegou a dizer que sofreu tanto quanto Rhianna, relatando murros no estômago e um empurrão das escadas.

Durante esse relacionamento, Chris Brown também protagonizou uma cena de pancadaria de violência no clube noturno WIP, em Nova Iorque, onde estava Drake e um grupo de amigos. Nesse dia, em junho de 2012, Brown terá arremessado uma garrafa para a mesa de Drake. Na resposta, voou outra garrafa para mesa de Chris Brown. Começou uma rixa que acabou com oito feridos, um deles Chris Brown.

No ano seguinte, em outubro, Brown voltaria a ser detido por agressão, em Washington, por desrespeitar a liberdade condicional. Enquanto acedia ao pedido de duas mulheres para tirar uma fotografia, dois homens intrometeram-se e um deles acabou agredido por Brown e o seu segurança com vários socos. Na sequência deste caso teve de passar 90 dias numa clínica para controlo de emoções.

Ainda durante o relacionamento com Karrueche, Chris Brown terá tido um relacionamento secreto com uma amiga de longa data, a aspirante a modelo e estudante de enfermagem Nia Guzman. Desse relacionamento nasceu a filha de Brown, Royalty.

Caso de violação na casa do cantor

Em maio de 2018, o cantor já tinha sido envolvido num processo de violação por uma mulher que alegava ter sofrido abusos sexuais na casa do músico. A vítima terá sido abusada por um amigo de Brown, o cantor Lowell Grissom (conhecido por Young Lo), e por uma mulher que a forçou a fazer sexo oral. Nos relatos da vítima é descrito um ambiente com vários estupefacientes à mistura e sucessivas orgias. Simultaneamente foi criado um ambiente hostil, também da responsabilidade de Chris Brown, que foi acusado de ajudar o amigo a forçar a vítima e de criar um clima de intimidação: andou sempre com uma arma à cintura. Haveria igualmente várias armas espalhadas pela casa.

Já antes disso, em agosto de de 2016, a polícia de Los Angeles terá cercado a casa de Brown após uma denuncia de que o cantor havia ameaçado uma mulher com uma arma de fogo. Brown acabou preso, mas foi depois libertado sob uma fiança de 250 mil dólares. O advogado de Brown terá negado as acusações e garantido que as acusações eram falsas. Prova disso seria o facto da polícia não ter encontrado armas na casa do músico.

O macaco que o podia ter custado seis meses de prisão

No Natal de 2017, o músico decidiu oferecer um macaco-prego bebé à filha como prenda natalícia. Chris Brown partilhou fotografias do pequeno macaco, a que chamou de Fiji, e acabou na mira do Departamento Ambiental da Polícia de Los Angeles. Pela posse do macaco em ambiente doméstico sem autorização prévia, com a agravante de ser uma espécie protegida, o músico enfrenta duas acusações por posse ilegal de animal. O julgamento é no próximo dia 6 de fevereiro.