Armando Vara

Juiz recusa impor caução a Armando Vara pedida pelo Ministério Público

1.071

Ivo Rosa achou que não se justificava pedir uma nova caução de meio milhão de euros, depois de já ter anulado uma anterior de 300 mil euros, que motivou um recurso dos procuradores.

Armando Vara está na prisão de Évora a cumprir cinco anos de prisão por três crimes de tráfico de influência junto do Governo de José Sócrates a favor do sucateiro Manuel Godinho

PAULO NOVAIS/LUSA

Ivo Rosa recusou o pedido do Ministério Público (MP) de impor a Armando Vara uma caução de meio milhão de euros. Os procuradores argumentaram que o ex-ministro socialista poderia dissipar os seus bens, mas o juiz de instrução do processo Operação Marquês não concordou, noticia o Público na sua edição desta segunda-feira. O magistrado entendeu que a medida não se justificava tal como o fizera quando revogou uma outra caução, de 2015, no valor de 300 mil euros, dentro de um outro processo, o Face Oculta, decisão de que o Ministério Público recorreu para o Tribunal da Relação.

O procurador Rosário Teixeira invocava então uma entrevista de Armando Vara — que cumpre pena de cinco anos na prisão de Évora, condenado no processo Face Oculta — à TVI para justificar a existência de, entre outros perigos, o de dissipação de bens e o condicionamento dos depoimentos das testemunhas do processo. “A simples capacidade do arguido de angariar tempo de antena para lançar avisos de retorção sobre terceiros é a prova evidente do seu propósito de constranger a produção de prova”, cita-o o Público. Em causa estavam as declarações de Vara em que insinuava que se tivesse aceitado um alegado pedido de ajuda do juiz Carlos Alexandre para ser diretor do SIS não estaria agora a responder perante a justiça.

O MP invoca ainda um gesto de Armando Vara para fundamentar o receio de dissipação de bens. É que assim que Ivo Rosa aboliu a caução de 300 mil euros, o ex-administrador da Caixa Geral de Depósitos vendeu por 1,75 milhões de euros uma casa que tinha em Oeiras e usou parte desse montante na amortização do financiamento bancário do imóvel. Segundo o Público, Rosário Teixeira concluiu que foram “diminuídas as garantias patrimoniais que permitiriam dar execução ao pagamento da indemnização pedida pelo Estado”.

Armando Vara encara um pedido de indemnização cível de 1,47 milhões de euros por parte do Estado português no processo Operação Marquês, em que responde pelos crimes de corrupção passiva, fraude fiscal qualificada e lavagem de dinheiro.

De acordo com o mesmo jornal, Rosário Teixeira referia ainda que o MP não sabe exatamente onde estão todos os fundos detidos pelo arguido da Operação Marquês no estrangeiro: “Basta pensar nas comprovadas operações de transferência de fundos para contas no Dubai e na diferença entre os montantes por si recebidos na Suíça, com origem ilícita entre 2006 e 2008 – num total superior a 2,6 milhões de euros – e os montantes que lhe foram apreendidos na conta da Citywide, que perfazem apenas 400 mil euros.”

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Duarte Lima

A impunidade e o tempo da Justiça /premium

Luís Rosa
775

Do que está à espera o PS para iniciar processo de expulsão de Armando Vara, tal como o PSD fez com Duarte Lima? Socialistas têm mais razões para agir porque Vara está preso por influenciar Governo PS

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)