Rádio Observador

Casa Real

É favor queimar, depois de comprar: o polémico boneco gigante da ARCO Madrid que retrata Felipe VI

Está de volta a controvérsia à feira de arte contemporânea, que se prolonga até domingo. "El ninot" custa 200 mil euros e quem comprar este rei gigante deve queimá-lo a seguir.

"El ninot" é o nome da escultura gigante que retrata o rei Felipe VI

AFP/Getty Images

Como é habitual, coube aos reis de Espanha inaugurar mais uma edição da ARCO, a conhecida feira de arte de Madrid, que volta a abrir portas na capital espanhola e a receber visitantes até domingo. E nem o look sofisticado e rockeiro de Letizia conseguiu abafar toda a polémica em torno da obra de Santiago Sierra e Eugenio Merino, artistas familiarizados com a controvérsia em edições anteriores do certame.

Desta vez, e dadas as dimensões em causa, é mesmo impossível fazer de conta que ninguém vê o boneco gigante que ocupa uma das salas. Trata-se de uma imagem do rei Felipe VI, com 4, 45 metros, e o mais peculiar é que o futuro comprador da obra, uma espécie de gigantone com laivos carnavalescos, deverá comprometer-se a queimar a mesma depois da sua aquisição.

Os reis de Espanha com o presidente peruano Martin Alberto Vizcarra, em visita oficial no país vizinho. (Photo by © Carlos Alvarez/Getty Images)

O casal real fez-se acompanhar pelo presidente do Peru, país convidado e que apresenta 23 artistas e 15 expositores na ARCO, e a avaliar por fontes do evento, citadas pela revista Hola, Felipe e Letizia dispensaram a passagem pela obra em questão, algo que segundo essa mesma fonte “não estava incluído no programa”.

Quanto a “El ninot” (ou o boneco), a escultura hiperrealista é feita à base de poliuretano, não esquece o fato escuro e a gravata verde e tem um preço de 200 mil euros. O pormenor mais curioso é que a galerista responsável, a italiana Ida Pisani, diz que perfuma o boneco regularmente, com a colónia preferida do soberano. O seu desejo, garante a galeria à agência Efe, é que a depois da venda, que poderá acontecer já esta quinta-feira, o comprador queime “a estrutura da cabeça”, “fora de Espanha”, num “lugar privado e de forma legal”.

De lembrar que a polémica está longe de ser uma novidade no contexto da ARCO. No ano passado, Helga de Alvear acabaria por ver retirada da galeria a série fotográfica “Presos políticos na Espanha contemporânea”. Em 2012, o mesmo Merino da dupla em questão deu que falar pela obra que punha o antigo ditador Francisco Franco dentro de um congelador, com o nome “Always Franco”. Já em 2016, havia uma “Copo de agua meio cheio” à venda por…20 mil euros.

Desta vez, e até ver, tudo se mantém dentro da normalidade. Pelo menos, da normalidade possível. Quanto à presença portuguesa, pode segui-la aqui.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mrsilva@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)