A polícia brasileira apreendeu vários cadernos dos atiradores que mataram dez pessoas numa escola em Suzano. Estavam guardados no carro com que os atacantes se dirigiram para a escola antes do massacre e terão sido escritos pelo atirador mais novo, de 17 anos.

Logo na contracapa de um dos cadernos, avança o Globo, escreveu uma ameaça, que diz vir da “bíblia satânica”: “Quando caminhando em território aberto, Não aborreça ninguém. Se alguém lhe aborrecer, peça-o para parar. Se ele não parar, Destrua-o“.

Ao longo do caderno há desenhos de homens encapuçados, esquemas de armas, nomes de videojogos e táticas de combate para competições online (“pode mandar o seu exército atacar, é exército meio fraco, mas se fizer rápido o inimigo não vai ter tempo de fazer muitas defesas”).

Há anotações ao longo do caderno com as regras da escola que atacaria, matando dez pessoas: “Proibido o uso do celular em sala de aula, proibido fumar e colaborar com a organização e limpeza dos ambientes”.

De acordo o UOL, os cadernos incluiam também declarações de amor por armas. Os atiradores atacaram a escola com revólver de calibre 38, uma besta e um machado. Não haveria nos cadernos referência ao pacto suicida dos atacantes.

Também os telemóveis dos atacantes foram apreendidos pela polícia, e um computador utilizado pelo atacante num café de videojogos, garante a mesma publicação.

A G1 mostra em vídeo várias páginas de um dos cadernos mostrados aos jornais brasileiros.

https://www.youtube.com/watch?v=lnBaRinB02M