O estádio Wanda Metropolitano, casa do Atlético de Madrid, foi palco de um momento importante na história do futebol feminino. Naquele que era um jogo decisivo para a Liga Iberdola, a equipa da casa defrontou o Barcelona (que venceu por duas bolas a zero) sob o olhar atento de 60 739 mil espectadores — um número recorde. Nunca houve tanta gente a apoiar um jogo entre clubes de futebol feminino.

Exemplo do ambiente incrível vivido este domingo no Wanda Metropolitano

Foi há poucos dias que o clube madrileño avisou não ter mais bilhetes para este jogo que era especialmente decisivo para as catalãs, que a sete jogos do fim do campeonato estavam a seis pontos das suas rivais, as colchoneras. Os adeptos acorreram ao estádio e com isso bateram o anterior recorde em Espanha, que remetia ao dia 30 de janeiro de 2019, dia do jogo no estádio de San Mamés onde o Athletic de Bilbao defrontou o mesmo Atlético.

Mas a história das marcas para a posteridade está longe de começar neste século, e nada como recuar quase cem anos para recordar outras fasquias míticas.

As Dick Kerry Ladies, equipa de futebol feminina mais temida na Inglaterra dos anos 20.

Em 1920, em pleno Boxing Day, realizou-se no Goodison Park (estádio do Everton, em Liverpool) um jogo de futebol feminino com uma impressionante assistência, e provavelmente a mais expressiva até este domingo. O encontro envolveu as equipas Dick Kerry Ladies e o St. Helen Ladies. Segundo dados da Associação Inglesa de Futebol, o Dick Kerry (na altura uma equipa altamente reputada) ganhou por quatro bolas a zero perante um público de 53 mil espetadores — há relatos de que outros 14 mil tiveram de ser impedidos de entrar por causa da capacidade total do estádio. Nesta altura, o futebol feminino já tinha bastantes seguidores, muito por culpa da Primeira Guerra Mundial que, ao empurrar quase todos os homens para o exército ou para as fábricas, ficou sem grande margem para as equipas de futebol.

A Rose Bowl no dia da final do campeonato do mundo de futebol feminino em 1999.

Olhando um século à frente, em 2012, a final da Liga dos Campeões feminina que foi jogada no estádio Olímpico de Munique também entrou na história como um dos jogos mais vistos de sempre: 50 212 espetadores viram o Lyon defrontar o Eintracht Frankfurt. Contudo, o recorde absoluto de maior audiência vai para a final do Campeonato do Mundo feminino de 1999, onde 90 195 pessoas assistiram à vitória da seleção norte-americana (nos penáltis, contra a China) no Rose Bowl de Pasadena, nos EUA. A seguir a esse jogo surge outra partida da seleção dos Estados Unidos, desta feita na final dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, que venceu o Japão por duas bolas a uma perante 80 203 pessoas.