Rádio Observador

Miguel Oliveira

Miguel Oliveira fica em 11.º no GP da Argentina e conquista primeiros pontos no Moto GP

3.467

O piloto ficou no 11.º lugar do GP da Argentina e conquistou os primeiros pontos no Moto GP, que são também os primeiros pontos de um português na modalidade. "Feliz e orgulhoso", comentou Oliveira.

O piloto português beneficiou de uma queda na última volta e subiu dois lugares na classificação

Getty Images

Miguel Oliveira tem vindo a surpreender os adeptos de motociclismo, as equipas que apostaram nele e o mundo motorizado no geral com as prestações acima da média que tem protagonizado. Primeiro no Moto 3, depois no Moto 2 e agora, finalmente, no Moto GP, o piloto português natural de Almada é uma das grandes promessas do desporto motorizado e continua a surpreender — mesmo que agora já esteja na principal competição de motas. Depois de ficar em 17.º na estreia no Moto GP, no Grande Prémio do Qatar, Oliveira garantiu desde logo que iria “lutar pelos pontos” na Argentina. E essa caminhada começou a ser feita logo na qualificação.

O piloto da Tech3 KTM partiu da quinta linha da grelha, em 14.º lugar — posição pontuável –, e ficou no top 10 no final do warm up, as voltas de reconhecimento e adaptação à pista. No Instagram, Miguel Oliveira deixava transparecer confiança e garantia que estava “pronto e focado nos objetivos”. Antes de os semáforos de apagarem no Circuito Internacional de Termas de Río Hondo, as expectativas para que o piloto se tornasse o primeiro português a pontuar num GP de Moto GP — depois de já se ter tornado o primeiro a competir na prova rainha do motociclismo — eram grandes.

Miguel Oliveira regressava a um circuito onde, nos últimos dois anos, ainda em Moto 3, conseguiu chegar ao pódio. O piloto português ganhou um lugar logo nos instantes iniciais do Grande Prémio, subindo a 13.º, e passou toda a corrida atrás de Pol Espargaró, a referência da KTM, a “equipa mãe” da Tech 3 de Oliveira. Oliveira, que tinha desde logo os primeiros pontos no Moto GP garantidos com a 13.ª posição, acabou por beneficiar de uma queda entre Viñales e Franco Morbidelli e subiu ao 11.º lugar.

O piloto da KTM conquistou cinco pontos no GP da Argentina: os primeiros pontos de Miguel Oliveira e os primeiros pontos de um português no Moto GP. Um resultado de sonho para uma das promessas do desporto motorizado que chega aos pontos logo na segunda corrida na prova rainha do motociclismo — quando tanta gente disse que estaria condenado a ser último. Mais acima, o campeão em título Marc Márquez venceu a corrida (chegando também à liderança da classificação geral), o veterano Valentino Rossi ficou em segundo e Andrea Dovizioso encerrou o pódio.

Com os cinco pontos conquistados na Argentina, Miguel Oliveira é agora 15.º na geral do Mundial de Moto GP. Nas redes sociais, o piloto reagiu de imediato ao resultado e garantiu que já está “focado em Austin”, a cidade norte-americana que recebe o próximo Grande Prémio, no fim de semana de 12 a 14 de abril. “Primeiros pontos alcançados! Muito feliz e orgulhoso com o resultado de hoje. O trabalho árduo recompensa”, escreveu Miguel Oliveira.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mfernandes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)