Miguel Oliveira tem vindo a surpreender os adeptos de motociclismo, as equipas que apostaram nele e o mundo motorizado no geral com as prestações acima da média que tem protagonizado. Primeiro no Moto 3, depois no Moto 2 e agora, finalmente, no Moto GP, o piloto português natural de Almada é uma das grandes promessas do desporto motorizado e continua a surpreender — mesmo que agora já esteja na principal competição de motas. Depois de ficar em 17.º na estreia no Moto GP, no Grande Prémio do Qatar, Oliveira garantiu desde logo que iria “lutar pelos pontos” na Argentina. E essa caminhada começou a ser feita logo na qualificação.

O piloto da Tech3 KTM partiu da quinta linha da grelha, em 14.º lugar — posição pontuável –, e ficou no top 10 no final do warm up, as voltas de reconhecimento e adaptação à pista. No Instagram, Miguel Oliveira deixava transparecer confiança e garantia que estava “pronto e focado nos objetivos”. Antes de os semáforos de apagarem no Circuito Internacional de Termas de Río Hondo, as expectativas para que o piloto se tornasse o primeiro português a pontuar num GP de Moto GP — depois de já se ter tornado o primeiro a competir na prova rainha do motociclismo — eram grandes.

Miguel Oliveira regressava a um circuito onde, nos últimos dois anos, ainda em Moto 3, conseguiu chegar ao pódio. O piloto português ganhou um lugar logo nos instantes iniciais do Grande Prémio, subindo a 13.º, e passou toda a corrida atrás de Pol Espargaró, a referência da KTM, a “equipa mãe” da Tech 3 de Oliveira. Oliveira, que tinha desde logo os primeiros pontos no Moto GP garantidos com a 13.ª posição, acabou por beneficiar de uma queda entre Viñales e Franco Morbidelli e subiu ao 11.º lugar.

O piloto da KTM conquistou cinco pontos no GP da Argentina: os primeiros pontos de Miguel Oliveira e os primeiros pontos de um português no Moto GP. Um resultado de sonho para uma das promessas do desporto motorizado que chega aos pontos logo na segunda corrida na prova rainha do motociclismo — quando tanta gente disse que estaria condenado a ser último. Mais acima, o campeão em título Marc Márquez venceu a corrida (chegando também à liderança da classificação geral), o veterano Valentino Rossi ficou em segundo e Andrea Dovizioso encerrou o pódio.

Com os cinco pontos conquistados na Argentina, Miguel Oliveira é agora 15.º na geral do Mundial de Moto GP. Nas redes sociais, o piloto reagiu de imediato ao resultado e garantiu que já está “focado em Austin”, a cidade norte-americana que recebe o próximo Grande Prémio, no fim de semana de 12 a 14 de abril. “Primeiros pontos alcançados! Muito feliz e orgulhoso com o resultado de hoje. O trabalho árduo recompensa”, escreveu Miguel Oliveira.