Madeira

Acidente/Madeira: última vitima alemã que estava internada no Funchal transferida para a Alemanha

A última vítima alemã do acidente com um autocarro turístico na Madeira que se encontrava ainda internada no Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, foi transferida para o seu país.

HOMEM DE GOUVEIA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

A última vítima alemã do acidente com um autocarro turístico na Madeira que se encontrava ainda internada no Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, foi esta quarta feira transferida para o seu país, anunciou o Serviço Regional de Saúde (SESARAM).

“O Serviço de Saúde da RAM [Região Autónoma da Madeira] informa que no dia de hoje, 24 de abril, foi transferida a mulher de nacionalidade alemã que estava internada na Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital Dr. Nélio Mendonça para a Alemanha, na sequência do acidente de autocarro na última quarta-feira, no Caniço”, refere uma nota do SESARAM, adiantando que “as vítimas de nacionalidade portuguesa mantêm-se internadas e estão estáveis”.

Esta cidadã alemã sofreu traumatismo cervical e abdominal e foi o último dos feridos a regressar à Alemanha.

Na passada quarta-feira, um autocarro de turismo despistou-se na Estrada Ponta de Oliveira, na freguesia do Caniço, concelho de Santa Cruz, provocando 29 mortos e 27 feridos, dois dos quais portugueses.

Todas as vítimas mortais — 17 mulheres e 12 homens — são de nacionalidade alemã.

Dos feridos alemães, 11 tiveram alta e 13 foram transferidos para a Alemanha nos dias 19 e 20 de abril, 12 dos quais num avião hospital da Força Aérea alemã.

Com a transferência para a Alemanha desta cidadã alemã, mantêm-se internados naquela unidade hospitalar apenas os dois portugueses naturais da Madeira envolvidos no acidente, o condutor do autocarro e a guia que acompanhava o grupo de turistas alemães que, nesse final de dia, se deslocava para um restaurante no Funchal, para um jantar típico.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Inovação

Web Summit e provincianismo

Fernando Pinto Santos

Porque é a investigação académica tão desconsiderada em Portugal? Talvez porque moldes ou toalhas não sejam tão glamorosos como uma app com um nome estrangeiro numa conferência com o nome de Summit.

Bragança

Bragança tem gente culta e fica aqui

Nuno Pires
134

“Bragança fica longe de Lisboa, é certo, mas também Lisboa de Bragança. Porém, estamos mais perto de Madrid, Paris, Salamanca, Barcelona e do resto da Europa”

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)